Menu

Saiba se você está comendo pouca proteína e entenda a importância dela

A proteína é o bloco de construção dos músculos, pele, enzimas e hormônios, desempenhando ainda um papel essencial no bom funcionamento de todos os tecidos do corpo humano. Ela ajuda ainda nas tarefas de recuperação após o esforço físico, ou na manutenção da saciedade após as refeições.

Reprodução/Internet

A quantidade de proteína ideal varia de indivíduo para indivíduo e é determinada por fatores como a idade, peso ou nível de atividade física diária. Os especialistas recomendam a ingestão de cerca de um grama de proteína por quilo de peso corporal, para uma pessoa com pouca ou nenhuma atividade física, no entanto esses valores podem duplicar para quem pratica exercício regular de forma intensa.

Apesar da proteína poder ser encontrada em inúmeros alimentos, a sua deficiência na alimentação ainda é muito comum. Esteja atento a estes sinais e perceba se está a sofrer com déficit de proteína. 

Está sempre com fome: Não consegue evitar fazer um ou dois lanches entre as principais refeições? Então, pode estar com falta de proteína no organismo. Já que este nutriente é conhecido por promover os níveis de saciedade. 

Sente fraqueza: É normal que se sinta mais fraco e que note uma diminuição nos índices de massa muscular, o que por sua vez deixará o seu organismo mais lento.

Não  consegue se concentrar: Sente-se constantemente avoado? Quando os níveis de proteína não estão adequados, podemos sentir alguma confusão mental. A proteína como reguladora da glicose no sangue, equilibra o açúcar, deixando-nos mais focados. 

Enfraquecimento do cabelo e unhas: Deficiências graves de proteína refletem-se ainda no enfraquecimento significativo do cabelo e das unhas. A pele torna-se também mais seca e apresenta vermelhidão. 

Não consegue perder peso: A pouca proteína disponível no corpo leva à perda muscular e contribui para um metabolismo mais lento - dificultando assim a perda de peso. 

Está sempre doente: A proteína representa parte essencial de um sistema imunológico mais saudável. 

Não consegue parar de comer açúcar: Sente ânsia frequente por comer besteiras? A proteína regula os níveis de açúcar no sangue (glicose), mantendo-os mais estáveis e diminuindo o desejo por doces.  Mude a sua alimentação e sinta-se bem!

Alimentos ricos em proteína

Os alimentos mais ricos em proteína são os de origem animal como carne de frango, carne de vaca, queijo, salmão grelhado, pescada, ovo. No entanto, vegetais como soja, quinoa, trigo sarraceno, millhete, lentilhas, tofu, feijão e ervilhas possuem boas quantidades de proteína, e podem ser utilizados em uma dieta equilibrada para manter o bom funcionamento do corpo, além de serem importantes componentes de dietas vegetarianas.

Com Nova Cruz Oficial

proteína é o bloco de construção dos músculos, pele, enzimas e hormônios, desempenhando ainda um papel essencial no bom funcionamento de todos os tecidos do corpo humano. Ela ajuda ainda nas tarefas de recuperação após o esforço físico, ou na manutenção da saciedade a seguir às refeições.

A quantidade de proteína ideal varia de indivíduo para indivíduo e é determinada por fatores como a idade, peso ou nível de atividade física diária.

Os especialistas recomendam a ingestão de cerca de um grama de proteína por quilo de peso corporal, para uma pessoa com pouca ou nenhuma atividade física, no entanto esses valores podem duplicar para quem pratica exercício regular de forma intensa.

Apesar da proteína poder ser encontrada em inúmeros alimentos, a sua deficiência na alimentação ainda é muito comum. Esteja atento a estes sinais e perceba se está a sofrer com déficit de proteína. 

Está sempre com fome- Está sempre com fome? Não consegue evitar fazer um ou dois lanches entre as principais refeições? Então, pode estar com falta de proteína no organismo. Já que este nutriente é conhecido por promover os níveis de saciedade. 

Sente fraqueza- É normal que se sinta mais fraco e que note uma diminuição nos índices de massa muscular, o que por sua vez deixará o seu organismo mais lento.

Não consegue se concentrar- Sente-se constantemente avoado? Quando os níveis de proteína não estão adequados, podemos sentir alguma confusão mental. A proteína como reguladora da glicose no sangue, equilibra o açúcar, deixando-nos mais focados. 

Enfraquecimento do cabelo e unhas- Deficiências graves de proteína refletem-se ainda no enfraquecimento significativo do cabelo e das unhas. A pele torna-se também mais seca e apresenta vermelhidão. 

Não consegue perder peso- A pouca proteína disponível no corpo leva à perda muscular e contribui para um metabolismo mais lento - dificultando assim a perda de peso. 

Está sempre doente- A proteína representa parte essencial de um sistema imunológico mais saudável. 

Não consegue parar de comer açúcar- Sente ânsia frequente por comer besteiras? A proteína regula os níveis de açúcar no sangue (glicose), mantendo-os mais estáveis e diminuindo o desejo por doces.  Mude a sua alimentação e sinta-se bem!

Alimentos ricos em proteína

 

 

Os alimentos mais ricos em proteína são os de origem animal como carne de frango, carne de vaca, queijo, salmão grelhado, pescada, ovo. No entanto, vegetais como soja, quinoa, trigo sarraceno, millhete, lentilhas, tofu, feijão e ervilhas possuem boas quantidades de proteína, e podem ser utilizados em uma dieta equilibrada para manter o bom funcionamento do corpo, além de serem importantes componentes de dietas vegetarianas.




Publicidade
Publicidade

Links patrocinados