Menu

Veja como foi o 1º Seminário sobre a Saúde Mental do Trabalhador e da Trabalhadora de Sete Lagoas

No dia 27 de setembro foi realizado o 1º Seminário sobre a Saúde Mental do Trabalhador e da Trabalhadora de Sete Lagoas. O seminário foi idealizado e organizado pelos membros da Comissão Intersetorial de Saúde do Trabalhador e da Trabalhadora de Sete Lagoas (CIST), e contou com a colaboração e apoio de sindicatos, Ministério do Trabalho, INSS, Superintendência Regional de Saúde, Secretaria Municipal de Saúde e do CEREST (Centro de Referência em Saúde do Trabalhador).

 Foto: AsCom Secretaria da Saúde de Sete Lagoas/ O evento contou com a participação de aproximadamente 160 pessoasFoto: AsCom Secretaria da Saúde de Sete Lagoas/ O evento contou com a participação de aproximadamente 160 pessoas

O seminário foi realizado no auditório do INSS, e teve como o objetivo refletir sobre os adoecimentos mentais relacionados ao trabalho e promover uma discussão sobre a temática.

O evento contou com a participação de aproximadamente 160 pessoas, e abordou os seguintes temas: Análise da Saúde Mental do Trabalhador no INSS, que foi coordenada pela Mestre Paulina Helena Lima Zambelli – Assistente Social do INSS – Contagem; Inclusão do Portador de Sofrimento Mental no Mercado de Trabalho, que foi coordenado pela Dra. Patrícia Siqueira Silveira – Advogada -Auditora Fiscal do Ministério do Trabalho; Violência no Trabalho e Saúde Mental, que foi coordenado pela Dra. Marta de Freitas – Engenheira do Trabalho e Coordenadora do Fórum Sindical e Popular de Saúde e Segurança do Trabalho; e Assédio Moral que foi coordenado pelo Palestrante Dr. Thiago Casemiro Mendes - Gestor de Recurso Humanos, Administrador e Mestrando em Psicologia.

“Os transtornos mentais e do comportamento vem aumentando significativamente em nossa sociedade onde o trabalho, o desemprego ou a ameaça de perda do mesmo, tem sido causa de sofrimento e/ou afastamentos das atividades laborais das pessoas em idade produtiva. Porém este contexto adoecido da saúde mental do trabalhador não tem sido visto com a devida atenção em sua relação entre adoecimento e trabalho por toda sociedade”, explica Mariana Schreiber Litwinski Martins, Coordenadora do CEREST - Sete Lagoas, que destaca a importância de discutir sobre a temática em toda sociedade. “Desta maneira, faz-se necessário promover uma ampla discussão sobre a temática junto aos profissionais de saúde inseridos no SUS, com o trabalhador, empregador ou mesmo estudante, assim como em toda a sociedade, para que desenvolvam uma atenção diferenciada ao trabalho reconhecendo-o como fator desencadeante de um processo de adoecimento”, finaliza.


Com AsCom Secretaria de Saúde de Sete Lagoas




Publicidade
Publicidade

Links patrocinados