Menu

Série artistas sete-lagoanos: conheça a música da cantora que além de artista é policial militar, psicóloga e professora

Diferentemente de muitos artistas, Barbara Maria além de cantora de MPB, é policial militar, psicóloga e professora. Com tantas ocupações, ser uma artista independente tem sido uma viagem e tanto.

Foto: Leticia Duval/ Barbara Maria de Almeida Araujo tem 33 anos, canta e toca violãoFoto: Leticia Duval/ Barbara Maria de Almeida Araujo tem 33 anos, canta e toca violão

Nascida em Sete Lagoas, mas hoje residindo em Prudente de Morais, a cantora compõe desde 2003 quando começou a fazer shows em bares. A partir de 2015, Barbara começou a fazer apresentações de seu trabalho autoral em eventos culturais de maior público em Sete Lagoas.

Entre as suas influências musicais, ela destaca artistas como Paula Toller, Roberta Campos, Vanessa da Mata, Patu Fu, AnaVitória, que a influenciaram na composição do single ’ Depois da Tempestade’, lançada em 2017.



Confira a entrevista com Barbara Maria:

• Você é professora, psicóloga e policial militar. Como alguém com tantas carreiras diferentes se transformou em cantora?

Então, na verdade a música veio na minha vida primeiro. Eu canto desde criança em corais de igreja e foi assim na minha adolescência também. Em 2003, comecei a cantar em barzinho e essa foi minha primeira experiência profissional na música. Somente em 2004 foi que ingressei nas fileiras da Polícia Militar (PM) e, apesar de querer ser psicóloga desde a adolescência, só entrei no curso de Psicologia em 2010. Esse curso me deu a possibilidade de atuar como professora nos cursos de formação da PM. Em 2016, me aventurei em um doutorado em Buenos Aires, que agora está no status de um projeto quase abandonado (risos). Neste sentido, sou cantora desde sempre, foram as outras carreiras que vieram depois.

• O que inspira as suas canções?

Atualmente estou passando por uma mudança interna, que acaba afetando o exterior e tudo que estou produzindo. Mas, o trabalho anterior fala basicamente sobre amor e romance, e todas as músicas falam de mim ou de algum contexto da minha própria vida. Todas as pessoas que me "inspiraram" para compor nos primeiros trabalhos foram reais e as histórias das canções também. Neste momento, tudo está mudando, o trampo novo está sendo formatado de forma diversa. Minhas canções novas estão com um formato e elementos bem diferentes do meu trabalho anterior. Muita coisa nova está vindo por aí. Muitas novidades estão surgindo. Aguardem! (risos)

• Qual é o objetivo da sua música?

Apesar de estar passando por uma transição no meu trabalho artístico, a essência dele não muda. O objetivo maior das minhas canções continua sendo inspirar as pessoas a fazer o bem, ao amor, à felicidade, a valorizar as coisas mais simples e serem sempre gratas pela vida, independentemente de qualquer coisa. No atual contexto, outros elementos objetivos estão surgindo naturalmente, como o empoderamento feminino, por exemplo.

Foto: Leticia Duval/ Objetivos da música de Barbara incluem o empoderamento feminino, por exemploFoto: Leticia Duval/ Objetivos da música de Barbara incluem o empoderamento feminino, por exemplo
• Sete Lagoas está inserida no seu trabalho de que maneira?

Como a cidade que eu moro é muito pequena, Sete Lagoas meio que me acolhe, a partir do momento em que promove eventos culturais e dá oportunidade para que artistas como eu mostrem seu trabalho. Foi aqui que comecei a me apresentar e relacionar com outros músicos na cidade. Além disso, como militar, minha carreira iniciou nessa cidade, atualmente trabalho em Sete Lagoas como policial. Estudei aqui, desde o ensino fundamental e fiz faculdade aqui também. Então, Sete Lagoas é onde praticamente desenvolvo grande parte da minha vida funcional/social/profissional.

• Você acha que Sete Lagoas possui bons locais expositivos?

Sete Lagoas é uma cidade rica de tudo: talentos, locais expositivos e pessoas com boa vontade pra fazer as coisas acontecerem. Sinto que a cena musical da cidade está passando por uma fase linda de expansão e com certeza todos ganham com isso: tanto os artistas quanto a cultura local, os donos dos locais e as pessoas que apreciam uma boa música.

• Podemos esperar algum novo trabalho autoral, show ou exposição?

Estamos produzindo material, passando por uma reformulação de identidade e musical. Esse ano será um ano de grandes e maravilhosas mudanças no meu trabalho, que daqui a pouco vocês vão conferir!

Para acompanhar a carreira da Barbara basta segui-la em suas redes sociais:

Facebook

Instagram

YouTube

Rebecca Soares




Publicidade
Publicidade
Publicidade

Links patrocinados