Menu

Supermercados de Minas Gerais abrem até 5.000 vagas temporárias

Quem está à procura de uma recolocação no mercado de trabalho poderá comemorar. Segundo sondagem feita pela Associação Mineira de Supermercados (Amis), que foi divulgada nessa terça-feira (17), na abertura do 31º Congresso e Feira Supermercadista e da Panificação (Superminas), a expectativa é que o setor empregue entre 3.000 e 5.000 pessoas de forma temporária neste final de ano.

Setor abre vagas temporárias/Foto: Divulgação (Ilustrativa)Setor abre vagas temporárias/Foto: Divulgação (Ilustrativa)

A projeção otimista não vem à toa. Segundo o presidente da Amis, Alexandre Poni, o setor vem apresentando números satisfatórios desde o início de 2017, o que fez com que as redes supermercadistas apostassem que as vagas temporárias para o Natal possam chegar a até 5% do total do quadro de funcionários atual delas.

“Estamos otimistas para o fim do ano, tanto que acreditamos que geraremos entre 3.000 e 5.000 empregos temporários, o que representaria um aumento de quase 5% do quadro de funcionários. Isso porque apostamos também que teremos 2% de crescimento de vendas em relação ao último Natal”, afirmou Poni.

Até o fim deste ano, segundo dados recentes da Amis, serão abertos, pelo menos, mais 60 novos supermercados em todo o estado, o que fará o setor a chegar a 7.163 lojas. Esse avanço ao longo do ano permitiu que fossem geradas dez mil novas vagas de trabalho, isso sem incluir as temporárias. Juntos, os supermercados investiram certa de R$ 400 milhões somente neste ano, e a expectativa é que o faturamento cresça 2% ante 2016, quando fechou em R$ 33,97 bilhões.

Para Poni, a explicação desse avanço se dá pela necessidade de atender os anseios do consumidor. “Nosso setor está preparado para suportar o crescimento do país e o anseio da população, evoluindo e atendendo as exigências do padrão de consumo, possibilitando esse avanço”, aponta.

Panificadoras. Seguindo a mesma toada, o setor de panificação também espera bons resultados para este ano. Segundo projeções da Associação Mineira da Indústria de Panificação (Amipão), a expectativa é que o crescimento da área chegue a 3% ante 2016.

Para o presidente da Amipão, José Baptista, esse avanço chega de forma surpreendente, tendo em vista que o setor não esperava tal guinada no início do ano.

“Assim como o setor supermercadista, esperamos um crescimento de 3% que deve se consolidar até o final do ano. Esse número é bem expressivo diante da expectativa com que começamos 2017, que não era tão boa. Porém, com a queda dos juros e avanço da economia, chegamos a um fim de ano muito positivo diante da expectativa que começamos”, avalia. Atualmente, 14 mil panificadoras estão espalhadas por todo Estado. Em 2016, elas geraram faturamento de R$ 8,6 bilhões.

Feira é chance de fazer negócio

Os crescimentos dos setores supermercadista e da panificação impactaram diretamente os resultados da 31º Superminas, que acontece no Expominas até esta quinta-feira (19). Na abertura, nessa terça-feira (17), os presidentes da Associação Mineira de Supermercados (Amis) e da Associação Mineira da Indústria de Panificação (Amipão) já comemoravam os primeiros números desta edição, que teve 480 estandes confirmados, aumento de 20% em relação ao ano passado.

“Para esta edição, teremos o recorde de 480 expositores, o que já é um aumento de 20% em relação do ano passado. Esta feira é um ponto de encontro de supermercados e panificadores do interior com os da capital e, mais que uma festa, é uma oportunidade para que eles fechem negócios, expandam seus horizontes e troquem informações sobre tecnologias e gestão”, comemora Alexandre Poni, presidente da Amis.

Já José Baptista, presidente da Amipão, celebra a quantidade de lançamentos disponíveis para quem visitar os três dias de feira. “Temos grandes novidades para quem visitar nossos estandes. No total, temos mais de 350 lançamentos de produtos alimentícios, bebidas, produtos de higiene e limpeza. Mas, mais do que isso, é uma feira tecnológica, que traz aos empresários e visitantes o que há de mais moderno no setor, como o self checkout, que diminuirá as filas nos supermercados e padarias”, avalia.

Em 2016, a Superminas movimentou cerca de R$ 1,7 bilhão em negócios, com a presença de 53,5 mil participantes.
Além da feira. Durante os dias de evento, a Superminas levará ao público presente cerca de 70 atividades que incluem palestras, fóruns, workshops, painéis e minicursos.

Agricultura familiar também ganha espaço

Além de grandes empresas, a Superminas conta com a presença do Circuito Mineiro de Compras Sociais, que leva 40 pequenos fornecedores da agricultura familiar ou de pequenas indústrias ao evento. Entre eles está o Café Sustentável 5588, da cidade de Boa Esperança, no Sul de Minas Gerais. Com produção anual de cerca de 70 mil sacas, o grão, que é originário do trabalho de 196 produtores de uma cooperativa local, conquistou mercados internacionais.

“Nosso grão traz como diferencial o controle de agroquímicos, fazendo dele um café sustentável. Atualmente, além de Belo Horizonte e algumas cidades do interior, exportamos para Inglaterra, Bélgica e Japão”, explica Roseane de Souza, representante da empresa na Superminas.

Da Redação com OT



Publicidade
Publicidade

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar