Menu

A gota que falta – Novo espetáculo do Grupo Trama chega a Sete Lagoas neste sábado

Grupo Trama de Teatro apresenta no dia 27 de abril, às 20h, na Feirinha da Lagoa Paulino (Sete Lagoas) o espetáculo “A gota que falta”.  A peça é resultado do processo de oficinas ministradas pelo grupo em 2018, dentro da programação de celebração dos 20 anos da companhia, que contou também com a primeira edição do Trama Festival – Teatro em Contagem.

Foram três oficinas de teatro realizadas em Contagem e, dessa atividade, quatro dos participantes foram selecionados para compor o elenco do novo espetáculo. Cibele Andrade, Kako Arancibia, Lavínia Antônia e Léo Campos participam, desde novembro de 2018, de um processo intenso de criação.

Foto: Andreia Carvalho e Rogério SilvaFoto: Andreia Carvalho e Rogério Silva

“Ao propor as oficinas para atores em Contagem, o Trama tem como objetivo fomentar as ações artísticas na cidade, por meio da capacitação de novos atores e atrizes a fim de valorizar o artista local e também fazer com que o publico possa contar com programações teatrais cada vez mais constantes na cidade”, explica Patrícia Matos, uma das produtoras à frente do projeto.

Quem assina a direção é Chico Pelúcio, ator e diretor de teatro reconhecido por seu trabalho no Grupo Galpão, do qual é integrante, além da sua atuação em cinema e televisão.

“A montagem de “A Gota que Falta” com o Grupo Trama de Teatro tem vários e bons significados. Em um País onde a cultura sofre todo tipo de golpe e indiferença renovar um grupo com a idade do Trama é um ato de coragem e resistência. Foi com grande prazer e esperança que trabalhei com esses jovens atores”, diz Chico Pelúcio.

O diretor enfatiza, ainda, sobre o papel dos espetáculos de rua, mais acessíveis á população. “Ao decidirmos montar um espetáculo teatral de rua afirmamos nossa vontade de ir em busca de um teatro popular nas praças públicas dos 72% dos municípios desse pais que não possuem um teatro. Sonhamos em levar essa arte milenar a milhões de brasileiros do interior, dos centros e das periferias das cidades.

“A Gota que Falta” aborda a importância do trabalho digno para cada cidadão frente a

ganância do lucro que compromete o direito a boa água, a identidade e a fruição da arte como condições fundamentais para a felicidade de uma comunidade.” Conclui.

Temporada

O espetáculo estreou no dia 23 de abril e a montagem segue para Sete Lagoas em 27 de abril, 20h, na Feirinha da Lagoa Paulino e encerra a temporada no dia 28, as 10h, no Parque Municipal Americo Renne Giannetti em Belo Horizonte. O acesso é gratuito. A duração é de 60 minutos e a classificação etária é livre. Os espetáculos são acessíveis em libras.

Registro

O grupo lançou também um livro sobre as duas décadas de atuação  do grupo. Com o título “20 anos ANOS DE TRAMAs” a  publicação foi organizada e editada pela jornalista Janaína Cunha Melo.

 O livro traz uma retrospectiva da história de atuação do Grupo entre espetáculos, projetos sociais e artísticos realizados além do palco.  Textos e fotos de parceiros e colaboradores do grupo integram a publicação. Todos os exemplares acompanham um livro áudio com os textos na íntegra, narrados na voz de Carlos Henrique, um dos fundadores do grupo.  

O projeto Trama 20 anos é patrocinado pelo Atacadão, CNH Industrial Capital e New Holland através dos benefícios da Lei Rouanet.

Sinopse:

“A Gota que falta”

Imagina um lugar perdido em nosso planeta onde a água escassa é o maior bem para a sobrevivência. Ela tem que ser produzida em uma fábrica onde patrões impõem metas cada vez  mais difíceis de serem alcançadas.  Como conseguir viver bem nessa realidade?

Em nosso sonho inventamos um mundo melhor.

SERVIÇO

Espetáculo “A gota que falta” – Direção de Chico Pelúcio

Quando:27 de abril, às 20h,

Onde: Feirinha da Lagoa Paulino, Sete Lagoas

Classificação etária: Livre

Duração: 60 min

Gratuito

Foto: Andreia Carvalho e Rogério SilvaFoto: Andreia Carvalho e Rogério Silva

Ficha Técnica

Direção: Chico Pelúcio

Assistente de direção: Carlos Henrique

Dramaturgia: Chico Pelúcio e Marcos Coleta

Elenco: Cibele Andrade, Kako Arancibia, Lavínia Antônia, Léo Campos

Cenário: PAR Cenografia - Branca Peixoto e Bruna Cosfer

Cenotécnico: Helvécio Isabel

Assistente de cenografia: Andréia Barbosa

Figurino: Camila Morena da Luz

Costureira: Sonia Dalva

Trilha Sonora: Fernando Muzzi e Bruno Chagas

Oficina de palhaço: Adriana Morales e Thiago Mafra (Grupo Trampulim)

Assessoria de Imprensa: Aclive Comunicação e Projetos

Foto: Andreia Carvalho e Rogério Silva

Projeto Gráfico: André Victor

Técnico de som e luz: Rodrigo Marçal e Jesus Lataliza

Produção: Patrícia Matos e Andréia Carvalho        

Programação de apresentações:

Dia 23 de abril, 19h30, Praça da Jabuticaba, Contagem Dia 24 de abril, 19h30, Praça Irma Maria Paula, Contagem

Dia 25 de abril, 19h30, Praça Marilia de Dirceu (Praça  do Cigano), Industrial, Contagem

Dia 27 de abril, 20h, Feirinha da Lagoa Paulino, Sete Lagoas

Dia 28 de abril   10h, Parque municial Americo Renne Giannetti, Belo Horizonte

Sobre o Grupo Trama:

Fundado em 1998, por atores vindos da extinta Cia. Sonho & Drama, o Grupo Trama comemorou em, 2018 seus 20 anos de atuação.  O Histórico do Grupo pauta-se pela criação de memoráveis espetáculos como “O Homem da Cabeça de Papelão”; “Os Três Patéticos”; “John & Joe”; “Ovos, Suor e Lágrimas”, entre outros e pelo desenvolvimento de projetos além-palco.  As montagens do Grupo têm como característica geral trazer à cena temas que possam propor algum tipo de reflexão crítica sobre a sociedade atual. Os projetos além-palco incluem atividades de intercâmbio com outros grupos e valorização da cultura popular.  Há sete anos o Grupo está sediado na cidade de Contagem onde realiza diversos projetos cujo foco é o fortalecimento da produção teatral e a valorização da cultura local. 

Sobre Chico Pelúcio

Integrante do Grupo Galpão em 1982 e idealizador do Centro Cultural Galpão Cine Horto em 1998, onde sempre desempenhou a função de diretor geral. Foi um dos criadores do Festival Cante Conte de Baependi em 1980 que acontece até os dias de hoje. Presidente da Fundação Clovis Salgado – Palácio das Artes nos anos 2005 e 2006.

Ator e diretor de teatro, atuou na maioria das peças do Grupo Galpão e dirigiu o espetáculo “Um Trem Chamado Desejo” além de diversos espetáculos  da Cia Burlantis de BH e do Oficinão do Galpão Cine Horto entre outros.  Além da direção da ópera “A Redenção Pelo Sonho” de Tim Rescala no Rio de Janeiro, assinou também em São Paulo a direção do Circo Roda e do espetáculo “Pagliacci” da Cia La Mínima que lhe rendeu o Premio Riso de direção no RJ em 2018 e várias indicações como melhor diretor em São Paulo.

Contatos:

Contatos para entrevistas: Produção Grupo Trama: 2515 1580  //  98416 0452: Carlos, Patrícia ou Andréia

Direção do espetáculo Chico Pelúcio: 31 99976-9386

Atores:

Kako Arancibia – 31 99546-1352

Lavinia Antonia – 31 99325-8940

Léo Campos – 31 9498-8031

Cibele Andrade – 31 9745-4186

por Aclive Comunicação e Projetos




Publicidade
Publicidade

Links patrocinados