Menu

Em confronto direto, Atlético empata com o Bahia em jogo com dois gols de Robinho N

Nada de abrir vantagem sobre o rival direto e se aproximar do objetivo de conquistar uma vaga na próxima edição da Copa Libertadores. Em confronto movimentado e cheio de oportunidades, o Atlético empatou com o Bahia por 2 a 2, na Fonte Nova. O jogo, válido pela 34ª rodada do Campeonato Brasileiro, contou com dois gols de Robinho - um deles uma ‘pintura’, no segundo tempo.

Mesmo com destaque de Robinho com 2 gols, Galo não consegue vencer o Bahia/Foto: EMMesmo com destaque de Robinho com 2 gols, Galo não consegue vencer o Bahia/Foto: EM

O camisa 7 abriu o placar já aos 5 minutos da etapa inicial. Edigar Junio, duas vezes, virou o jogo para o Bahia, que 'mandou' na partida na maior parte do tempo. Robinho empatou novamente o jogo após receber passe por elevação de Luan, matar no peito e bater forte, no ângulo de Jean.

A igualdade deixa as duas equipes com 46 pontos. O Bahia ocupa a nona posição - uma à frente do time mineiro, que fica abaixo na tabela em função do saldo de gols (dois favoráveis contra menos um do Atlético). Apesar do empate, a diferença para o G7 diminuiu. Após perder por 2 a 0 para o Palmeiras, o Flamengo 'estacionou' nos 50 pontos.

O Atlético volta a campo nesta quarta-feira, a partir das 21h45 (de Brasília). A equipe mineira visita o Vasco, em São Januário. No dia seguinte, o Bahia recebe o Santos, novamente na Fonte Nova. O duelo está marcado para 21h (de Brasília).

Domínio do Bahia, precisão do Atlético

Todo ‘remendado’ por conta dos seis desfalques no time titular (Marcos Rocha, Leonardo Silva, Gabriel, Adilson, Cazares e Fred), o Atlético optou por esperar as investidas do Bahia. Apesar de ter mais posse de bola, o time mandante não havia conseguido criar oportunidades claras quando o primeiro lance de perigo ocorreu. Aos 5’, Valdívia fez bela jogada pela esquerda, puxou para o meio e achou Robinho. O camisa 7 recebeu livre, invadiu a área e bateu na saída de Jean: 1 a 0.

Depois do gol, o Bahia se manteve na metade ofensiva do campo. Aos 20’, a equipe apresentava 63% da posse de bola. Mendoza, Zé Rafael e Allione tentavam, mas tinham dificuldade de ‘furar’ o bloqueio alvinegro. O jeito era finalizar de fora da área - sem grande perigo.

O Atlético, por sua vez, apostava nos contragolpes, mas também não conseguia assustar Jean. Valdívia, pela esquerda, e Robinho, movimentando-se por diferentes lugares do campo, eram os mais acionados ofensivamente.

Aos 35’, a melhor oportunidade do Bahia. Zé Rafael encontrou Mendoza, que apareceu ‘nas costas’ do lateral-direito Bremer. O atacante saiu na cara de Victor, mas finalizou para fora.

Chances e reviravoltas

A ‘blitz’ do Bahia continuou no início da segunda etapa. E, finalmente, a insistência deu resultado. Aos 8’, Bremer ‘atropelou’ Zé Rafael na área. Raphael Claus assinalou pênalti. Na batida, Edigar Junio travou duelo de olhares com Victor - e venceu: 1 a 1.

Oswaldo de Oliveira, então, fez duas substituições: Luan e Gustavo Blanco entraram nos lugares de Otero e Valdívia, respectivamente. Mas, antes mesmo de as alterações modificarem a forma de jogo do time, o Bahia virou o placar. Juninho cobrou falta na área, e Edigar Junio completou de cabeça para as redes. A comemoração, entretanto, foi ‘adiada’. O árbitro precisou consultar o auxiliar para se certificar que não houve impedimento e nem toque no braço do jogador do time mandante.

A virada do Bahia fez com que o Atlético modificasse a estratégia. O time mineiro passou a propor o jogo. E deu certo. Aos 29’, Luan deu belo passe por elevação para Robinho. Livre, o camisa 7 matou no peito e finalizou sem deixar cair, no ângulo de Jean: 2 a 2.

A partir daí, as duas equipes trocaram golpes. O Atlético chegou com Rafael Moura, que parou no goleiro baiano. O time da casa insistia nos toques rápidos e em alguns lances de bola aérea, mas também não conseguiu marcar. No fim, empate na Fonte Nova.

BAHIA 2 x 2 ATLÉTICO

Bahia
Jean; Eduardo, Tiago, Thiago Martins, Juninho Capixaba; Renê Júnior, Juninho, Zé Rafael e Allione (Régis); Mendoza e Edigar Junio.
Técnico: Paulo Cézar Carpegiani

Atlético
Victor; Bremer, Roger Bernardo, Matheus Mancini e Fábio Santos; Yago (Marlone) e Elias; Otero (Luan), Robinho e Valdívia (Gustavo Blanco); Rafael Moura
Técnico: Oswaldo de Oliveira

Gols: Edigar Junio, aos 9 e aos 18 minutos do segundo tempo (BAH); Robinho, aos 5 minutos do primeiro tempo (ATL).
Cartões amarelos: Zé Rafael (BAH); Matheus Mancini, Valdívia e Luan (ATL).

Motivo: 34ª rodada do Campeonato Brasileiro
Local: Fonte Nova, em Salvador
Data e hora: domingo, 12 de novembro, às 18h (de Brasília)

Público pagante: 29.769 torcedores
Renda: R$ 917.391,00

Árbitro: Raphael Claus - SP (FIFA)
Assistentes: Daniel Paulo Ziolli - SP (CBF) e Tatiane Sacilotti dos Santos Camargo - SP (FIFA)

Da Redação com EM



Publicidade
Publicidade

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar