Menu

Com dúvidas no time e em luto por Bebeto, Atlético busca vaga na quarta fase da Copa do Brasil

Noite de decisão para o Atlético. Mas, mais do que isso, noite de luto por Bebeto de Freitas, 68. O diretor de administração e controle morreu após sofrer uma parada cardiorrespiratória na tarde dessa terça-feira, véspera do duelo contra o Figueirense. Em meio às homenagens ao histórico dirigente, as equipes decidem vaga na quarta fase da Copa do Brasil. O duelo está marcado para 21h45 desta quarta-feira (14), no Independência.

Foto: Reprodução - Superesportes / Cazares ainda é dúvida no jogo de hojeFoto: Reprodução - Superesportes / Cazares ainda é dúvida no jogo de hoje

Na ida, vitória alvinegra por 1 a 0 no Orlando Scarpelli. O gol foi marcado pelo meia Otero, que volta ao time após cumprir suspensão e, posteriormente, ser poupado no Campeonato Mineiro. O Atlético só não se classificará caso perca por dois ou mais gols de diferença. Derrota por um tento de desvantagem leva a decisão para os pênaltis.

Em função da morte de Bebeto, o Atlético declarou luto oficial de três dias em todos os setores do clube. Com isso, os jogadores não treinaram na tarde dessa terça-feira. Internamente, foi cogitada a possibilidade de pedir à Confederação Brasileira de Futebol (CBF) o adiamento do jogo. A diretoria mineira, entretanto, optou por seguir com o planejamento em função da proximidade da data da partida.

Na segunda-feira, Thiago Larghi comandou uma atividade fechada. A estratégia já havia sido adotada durante a preparação para os clássicos contra América (vitória por 3 a 0) e Cruzeiro (derrota por 1 a 0), pelo Campeonato Mineiro. O auxiliar e treinador interino deixou no ar a dúvida sobre a formação da segunda linha de meias, que municiam diretamente o centroavante Ricardo Oliveira.

Róger Guedes, Erik e Otero foram escalados nos últimos jogos. Cazares, entretanto, pode ficar com uma das vagas. O equatoriano perdeu posição no início de fevereiro, mas tem se destacado. O camisa 10, assim como os 11 considerados titulares, foram poupados nesse domingo, na vitória por 1 a 0 sobre o Tombense, pela rodada final da fase classificatória do Campeonato Mineiro.

Cazares é opção de mais posse de bola e cadência em um time que, nos últimos jogos, se notabilizou especialmente pela rápida transição ofensiva. Se for titular, a tendência é que ocupe a vaga de Erik ou Róger Guedes. Descansado e homem de confiança de Larghi, Otero deve seguir na equipe.

Há, ainda, outras incertezas quanto à escalação do time para o duelo. Gabriel, diagnosticado com uma conjuntivite, e Elias, em recuperação de amigdalite, não treinaram na segunda e podem desfalcar o Atlético contra o Figueirense. Se os dois não jogarem, a tendência é que Matheus Mancini e Gustavo Blanco, respectivamente, ocupem as vagas deixadas pelo zagueiro e pelo volante.

Iago Maidana, que tem atuado pelo lado direito - na posição ocupada por Leonardo Silva - pode ser deslocado para a 'quarta zaga' e fazer parceria com o capitão. Os dois nunca atuaram juntos em partidas oficiais. O mais experiente dos dois analisou o momento vivido pela defesa em 2018, que sofreu apenas quatro gols nos últimos oito jogos, período em que o time foi comandado por Thiago Larghi.

"É o padrão defensivo. A bola até chega, mas com maior número de jogadores na parte defensiva. Isso é importante para que todos possam ajudar e contribuir nessa forma de o Atlético jogar e, principalmente, se defender. Você vai ter oportunidade também de atacar. Com qualidade e velocidade que nós temos, vamos surpreender o adversário nos espaços que eles vão deixando. A equipe evoluiu muito", analisou o zagueiro.

O RIVAL

O Figueirense chega reforçado para o duelo contra o Atlético. Desfalque no jogo de ida por conta de problemas médicos, o experiente atacante Jorge Henrique (ex-Corinthians) está de volta ao time. Ele, inclusive, foi destaque no empate por 1 a 1 no clássico contra o Avaí, nesse domingo, ao marcar um golaço de fora da área. Além de Jorge Henrique, outra novidade deve ser a presença de Maikon Leite, também recuperado de lesão.

A tendência é que o técnico Milton Cruz repita a base do time do último jogo do Campeonato Catarinense, competição na qual o Figueirense perdeu a liderança para a Chapecoense. O treinador também optou por fechar os treinamentos da equipe antes da decisão contra o Atlético.

"O Atlético era um time ofensivo, que jogava para cima, contra a gente veio fechado e alguns jogadores deles falaram que montaram a retranca da retranca. Não vamos encontrar um time aberto, é um novo treinador, vai jogar fechado, e o Figueirense tem qualidade para propor", analisou Milton Cruz, expulso de forma polêmica no clássico contra o Avaí.

ATLÉTICO X FIGUEIRENSE

Atlético
Victor; Patric, Leonardo Silva, Gabriel (Matheus Mancini ou Iago Maidana) e Fábio Santos; Adilson e Elias (Gustavo Blanco); Róger Guedes, Erik (Cazares) e Otero; Ricardo Oliveira
Técnico: Thiago Larghi

Figueirense
Denis; Diego Renan (Raul), Nogueira, Cleberson e Guilherme Lazaroni; Zé Antônio, Betinho, Jorge Henrique, Gustavo Ferrareis e Maikon Leite; André Luis
Técnico: Milton Cruz

Motivo: Jogo de volta da terceira fase da Copa do Brasil
Local: Independência, em Belo Horizonte
Data e horário: 14 de março de 2018 (quarta-feira), às 21h45
Árbitro: Dyorgines José Padovani de Andrade - ES (CBF)
Assistentes: Fabiano da Silva Ramires - ES (CBF) e Vanderson Antônio Zanotti - ES (CBF)

Da Redação Com Superesportes




Publicidade
Publicidade

Links patrocinados