Menu

Atlético joga bem e goleia o Ferroviário pela Copa do Brasil

Unindo o útil ao agradável, o Atlético não tomou conhecimento do Ferroviário-CE e aplicou um 4 a 0, ontem, no Independência, partida de ida da quarta fase da Copa do Brasil.

Foto: Leo FontesFoto: Leo Fontes

Com o resultado, a equipe mineira pode agora jogar “tranquilão” no Nordeste e perder por até três gols de diferença, no Castelão, em Fortaleza, no próximo dia 18, que avança às oitavas de final. Será então que o torneio ganhará cara nova com a entrada dos times que disputam a Libertadores.

O adversário, de fato, era inferior tecnicamente, embora tivesse eliminando três antes, entre eles, o Sport. Já de fora do Campeonato Pernambucano e da Copa do Nordeste, o Ferrão, único entre os dez desta fase do torneio que figura na Série D, chegou a BH como franco-atirador e se perdeu por aqui. Ficou até preso no trânsito de uma blitz e chegou atrasado ao Horto.

Sabendo da fragilidade alheia, o técnico Thiago Largui pôde poupar quase meio por causa do desgaste do início de temporada, mas ele estava, de fato, de olho na decisão do Campeonato Mineiro, domingo, contra o Cruzeiro, O Galo venceu pode perder por um gol de diferença para ser campeão

Para ontem, se algum atleticano ainda estava com um pé atrás pela estratégia, ela logo se fazia valer pela cabeça de seu artilheiro Ricardo Oliveira que abriu o placar com apenas 1 min de jogo. Mesmo diante de uma equipe até certo ponto aguerrida, o Atlético manteve o ritmo e chegou a ter 70% de posse de bola. O segundo gol era questão de tempo.

Após algumas investidas, Otero, de longo, ampliou aos aos 28 min. Sem pressa, o alvinegro trocava passes com facilidade e, aos 39 min ampliava, de novo, com Otero.

Mantendo firme a ideia de rodízio, Thiago Larghi tirou os autores dos gols no intervalo e deu vez a Erik e Róger Guedes. E no que deu? Em gol. Na jogada trabalhada por Guedes, Erik fez o quarto, aos 4 min da segunda etapa.

Abatido, o Ferroviário pouco reagiu. O técnico mineiro Ademir Fonseca chegou a colocar em campo o experiente atacante Mota, mas de nada adiantou. O Atlético soube conduzir o restante da partida com inteligência, sem correria, somando, no fim um total de 20 disparos a gol. Terminou quatro, mas poderia ter sido cinco ou seis.

Com O Tempo




Publicidade
Publicidade

Links patrocinados