Menu

Campeonato Brasileiro de Turismo 1.600cc adota nova identidade e destaque mineiro continua

A competição foi retomada ano passado, como Brasileiro de Turismo 1.600cc, numa tentativa de retomar os bons tempos do Marcas e Pilotos, que nas décadas de 1980 e 1990 envolvia as montadoras e reunia a elite do automobilismo. E já na primeira temporada teve mineiro campeão – aliás, dois, os irmãos Leandro e Wanderson Freitas.

Gustavo Mascarenhas começou o campeonato com vitória em Londrina e é vice-líder na Classe 1/ Foto: Fast Racing/divulgaçãoGustavo Mascarenhas começou o campeonato com vitória em Londrina e é vice-líder na Classe 1/ Foto: Fast Racing/divulgação

Como já vinha sendo disputado um Brasileiro de Marcas, com outra proposta (chassis dos sedãs médios à venda no país, como Renault Fluence, Honda Civic e Chevrolet Cruze, e motorização única), a organização optou por adotar uma nova identidade para o campeonato dos “pequenos”: Turismo Nacional.

Com direito a nova divisão de categorias, mas, ao menos por enquanto, o mesmo protagonismo dos pilotos do estado. Que, aliás, receberá a terceira das seis etapas, em 22 de julho, no Circuito dos Cristais, em Curvelo. E cada final de semana de corrida conta com quatro provas de 20 minutos cada.

Duas classes

Se o limite dos motores foi mantido (1.600cc), para esse ano a organização optou por dividir os carros conforme o ano de fabricação. Os produzidos de 2016 em diante formam a Classe 1. Já os montados de 1997 a 2015 estão na classe 2. Tudo para evitar que modelos mais recentes levassem vantagem sobre os produzidos há mais tempo (que ainda formam a base do grid).

Sem o envolvimento das fábricas, por muito tempo não houve opções de projetos competitivos, até que alguns preparadores independentes resolveram, por conta própria, oferecer máquinas mais modernas, como Uno e Mobi, da Fiat; HB20, da Hyundai e March, da Nissan.

Pois na Classe 1 um dos destaques é justamente Gustavo Mascarenhas, bicampeão mineiro e o primeiro a apostar no Uno. Depois da etapa de Londrina, ele ocupa a vice-liderança da classificação – somou uma vitória, dois segundos e um terceiro lugar. Outro mineiro que fará todo o campeonato é Luiz Filgueiras, com um VW Gol.

Na Classe 2, Leandro e Wanderson Freitas (VW Gol) começaram com tudo, somando uma vitória, um terceiro, um sexto e um nono lugar (juntas, as duas categorias proporcionaram um grid de 32 carros na pista do norte paranaense. Antes de vir a Curvelo, o Turismo Nacional visita Guaporé (RS), nos dias 15 e 16 de junho.

RÁPIDAS

Pilotos da casa dominam etapa de lavras do brasileiro de regularidade

Um percurso bastante técnico e exigente ‘brindou’ os 126 inscritos no Enduro dos Ipês, válido como quinta e sexta etapas do Brasileiro de Enduro de Regularidade (além do Mineiro e da Copa Sul-Mineira da modalidade), nas trilhas em torno de Lavras. Na categoria Master, domínio de Tunico Maciel, com uma Honda CRF 450X, à frente do paranaense Emerson Loth, o “Bombadinho” e do atual campeão, o capixaba Jomar Grecco. O também lavrense Dário Júlio foi o melhor na Over 40, enquanto Fábio Coelho Amaral, de Divinópolis, dominou a categoria Brasil (motos nacionais), com uma Yamaha TTR-230. André Rezende, de Luminárias, foi ao alto do pódio na Novatos.

Apenas 11 milésimos definem vencedor na abertura da motovelocidade

Se depender do que foi a primeira etapa, no Circuito dos Cristais, em Curvelo, o reformulado Brasileiro de Motovelocidade tem tudo para ser emocionante até a última bandeirada. Na categoria Superbike (1.000cc), apenas 11 milésimos de segundo separaram vencedor (o paulista Danilo Lewis), do segundo colocado, o capixaba Rodrigo Dazzi. A Supersport 600cc foi dominada por outro paulista, Michel Veludo, com o mineiro Toninho Franzen em terceiro lugar com sua Kawasaki Ninja ZX6-R. Com o maior grid da prova (21 motos), a Sport 300cc foi vencida por Bruno César, seguido por Lincoln Mello e Rodrigo Gregório. Depois de passar por Cascavel e Goiânia, o Brasileiro volta a Curvelo na última etapa, em novembro.

Inscrições abertas para o rally de Inhaúma, segunda Prova do Estadual

Está chegando a hora. Nos dias 19 e 20 UTVs, carros, motos e quadriciclos voltam a invadir a Fazenda do Treme, em Inhaúma, para a segunda etapa do Mineiro de Rally de Velocidade – mais uma vez pilotos e navegadores de outros estados prometem marcar presença, garantindo um nível técnico ainda mais elevado para a prova. Os interessados em garantir presença na disputa podem fazê-lo depositando o valor da inscrição (R$ 550 para motos; 1.000 para UTVs e 1.100 para carros e gaiolas/autocross) na conta 3.689 do Banco Itaú, agência 6.908.

Mais informações pelo e-mail rallymineiro@gmail.com.

Com Hoje em Dia




Publicidade
Publicidade

Links patrocinados