Menu

Sede do Galo amanhece pichada após eliminação na Copa do Brasil

Depois da eliminação diante da Chapecoense, nos pênaltis (4 a 3), em Santa Catarina, nas oitavas de final da Copa do Brasil, torcedores do Atlético demonstraram todo o descontentamento não só pelas redes sociais, mas também nas ruas. A sede administrativa do clube, no bairro de Lourdes, em Belo Horizonte, foi alvo de protestos e teve o vidro da sala de troféus pichado.

Foto: Reprodução Superesportes / 'Onde fracos não tem vez (sic)', dizia primeira pichação nos vidros da sala de troféus da sedeFoto: Reprodução Superesportes / 'Onde fracos não tem vez (sic)', dizia primeira pichação nos vidros da sala de troféus da sede

Fotos dos vidros pichados da sede do Atlético circularam em grupos de Whatsapp logo depois da eliminação na Arena Condá. Nas imagens era possível ler frases como ‘Onde os fracos não têm vez’ e ‘Acabou a paz’. A reportagem do Superesportes foi ao local, mas os funcionários do clube – que evitaram dar declarações sobre o fato - já haviam limpado as vidraças.

Marcas de pano nos vidros e água no chão, perto dos locais indicados nas fotos, demonstraram o trabalho de retirada da tinta:

Foto: Reprodução SuperesportesFoto: Reprodução Superesportes

O presidente do Atlético, Sérgio Sette Câmara, voltou a sofrer críticas severas de torcedores nas redes sociais, depois da eliminação contra a Chapecoense. O dirigente provocou polêmica logo após a queda na Copa Sul-Americana, no empate sem gols com o San Lorenzo, no Independência, quando o Galo escalou time reserva mesmo com a obrigação de inverter a vantagem dos argentinos.

O mandatário acirrou os ânimos da torcida ao classificar a Sul-Americana como ‘Segunda Divisão’ da Libertadores e declarou ainda que as prioridades na temporada eram a Copa do Brasil e o Campeonato Brasileiro. Uma semana depois, o Galo voltou a sofrer nova eliminação, dessa vez no torneio nacional, nos pênaltis, após empate sem gols em Chapecó.

Com Superesportes




Publicidade
Publicidade

Links patrocinados