Menu

Cruzeiro e Atlético-MG acumulam polêmicas nos bastidores nas vésperas de novo clássico

Mais um clássico entre os maiores rivais no futebol mineiro. Nas contas do mandante Cruzeiro, será o jogo de número 487. Nas do visitante, Atlético-MG, já foram disputados 506 confrontos. Essa é apenas uma das várias divergências que marca a disputa entre os clubes fora das quatro linhas.

Atlético e Cruzeiro se enfrentam neste domingo, às 16h, no Mineirão / Foto: SuperesportesAtlético e Cruzeiro se enfrentam neste domingo, às 16h, no Mineirão / Foto: Superesportes

Este ano, já se enfrentaram quatro vezes - três pelo Mineiro, uma pelo Brasileiro. Cada time venceu dois jogos. O quinto embate será neste domingo, a partir das 16h (de Brasília), quando voltam a medir forças no Mineirão, pela 25ª rodada do Brasileiro.

Desde a reinauguração de Mineirão e Independência após obras, em 2012 e 2013 respectivamente, a rivalidade nos bastidores deu uma esfriada. Os dois times chegaram a se enfrentar com torcida dividida - metade para cada um - na abertura do estádio reformado. Vitória celeste de virada, por 2 a 1. Depois, só mais um jogo com 50% de atleticanos e 50% de cruzeirenses, quatro anos depois: pela Primeira Liga. Foi em feveiro do ano passado, com novo triunfo azul.

Bastidores quentes

Durante reunião na Federação Mineira de Futebol (FMF), no dia 28 de março, para definição dos detalhes para o primeiro jogo jogo da final do Campeonato Mineiro, Atlético-MG e Cruzeiro sinalizaram a paz entre os clubes. Decidiram que as duas partidas do Brasileiro deste ano seriam realizadas no Mineirão e com 50% dos ingressos para os cruzeirenses e a outra metade para os atleticanos.

No mês seguinte, a surpresa. O presidente do Galo, Sérgio Sette Câmara, voltou atrás na decisão de torcida dividida. Durante evento de premiação dos melhores do Campeonato Mineiro na sede da Globo Minas, ele alegou que o tratamento recebido pelos atleticanos no segundo e decisivo jogo da final do Estadual o fez mudar de ideia.

Cruzeiro reclama

O primeiro clássico após a reviravolta na questão da torcida dividida foi no primeiro turno do Brasileiro. E teve mais polêmica. No Atlético-MG x Cruzeiro disputado no dia 19 de maio, válido pela sexta rodada, o Cruzeiro reclamou que seus dirigentes foram direcionados para um camarote ao lado de integrantes de uma torcida organizada alvinegra. A Polícia Militar chegou a ser chamada ao local. Em protesto, o técnico Mano Menezes e os jogadores não deram entrevistas após a partida, que terminou com vitória alvinegra por 1 a 0.

Ingressos caros, polêmica das bandeiras e dos camarotes

Na última quinta-feira (13), mais um round no clássico que os clubes travam nos bastidores. Na tradicional reunião na sede da Federação Mineira de Futebol (FMF) que define a organização do jogo entre os rivais, houve insatisfação do Atlético-MG quanto à disponibilidade dos - caros - ingressos, e, também, a respeito do pedido feito pelo Cruzeiro para que não seja liberada a entrada de bandeiras, faixas e instrumentos musicais da torcida do Galo.

E a insatisfação alvinegra não foi só com o preço dos ingressos. A diretoria do Atlético-MG reclama do camarote cedido pelo Cruzeiro. Lásro Cândido Cunha, vice-presidente do Galo, explica a situação:

- É o seguinte: eles deveriam fornecer dois, como foi fornecido para eles (no primeiro turno), e eles forneceram um só. Mas nós compramos mais espaço, isso não é problema. O Atlético-MG comprou mais espaço para a comissão técnica, diretoria, etc. Senão, nem cabe. Isso é o de menos.

Benecy Queiroz, supervisor administrativo do Cruzeiro, rebate as afirmações de Lásaro:

- No primeiro turno, eles nos colocaram em um camarote no fundo do Independência, ao lado da torcida Galoucura e de outro lado outra torcida. Nós ficamos em uma situação muito complicada lá, cercados. Foram dois camarotes, mas camarotes pequenos, porque lá no Independência eles são menores, com capacidade para 18 pessoas. Agora, estamos também cedendo um camarote para 18 pessoas, como aconteceu no primeiro turno. Mas o que passamos no primeiro turno foi muito desagradável e de alto risco.

O clássico do próximo domingo é promessa de mais um jogo cheio de rivalidade - dentro e fora de campo. Quem vencerá? Façam suas apostas!

A Federação Mineira de Futebol (FMF) divulgou definição da carga e preços dos ingressos para este clássico, confira AQUI

Cruzeiro x Atlético
Mineirão – 16h
A: Rafael Traci – PR/CBF
A1: Ivan Carlos Bohn – PR/CBF
A2: Rafael Trombeta – PR/CBF
4ºA: Marconi Helbert Vieira – MG/CBF
AA1: Felipe Fernandes de Lima – MG/CBF
AA2: Wanderson Alves de Souza – MG/CBF

Com GE e FMF




Publicidade
Publicidade

Links patrocinados