Menu

O SeteLagoas.com.br te dá dicas para escolhas dos drinks deliciosos para celebrar o Ano Novo

Falta pouco para a virada do ano, mas ainda está em tempo de pensar nos drinks do Réveillon, afinal, ninguém quer passar para um novo ciclo sem fazer um saboroso brinde. Mais do que direcionar as escolhas pelo paladar dos convidados, é importante levar em conta o propósito das bebidas e a harmoni-zação com os pratos que serão servidos na ceia.

 Além de agradar o paladar, escolher a bebida certa ajuda a ressaltar pratos servidos na ceia/Foto: Lucas PratesAlém de agradar o paladar, escolher a bebida certa ajuda a ressaltar pratos servidos na ceia/Foto: Lucas Prates

À base de rum e hortelã, o mojito, típico drink caribenho, e o Tom Collins, que leva gim e suco de limão, por exemplo, são bastante neutros e vão bem com diversas combinações de sabor, tanto salgadas quanto doces. Fáceis de agradar, são curingas nessa hora, pois refrescam e ajudam a amenizar o calorão brasileiro.

Instrutor do curso Preparo de Drinques e Coquetéis do Senac EAD, Jeison Cristiano Mota indica ainda os vinhos rosé e o clássico e tradicional espumante, sempre lembrado nessa data.

“Embora seja clichê, é uma bebida simbólica e que não pode faltar. Também é refrescante e harmoniza bem com o que é servido nessas datas, como as frutas”, explica o profissional, referindo-se à segunda opção.

Para harmonizar, o instrutor indica servi-lo acompanhado de canapés. O vinho rosé (assim como o branco), por sua vez, vai bem com carnes brancas, como o peru e o chester.

Opções

Fazer um drink coletivo, que possa ser saboreado por mais gente, também é uma ótima pedida para as festas de Ano Novo. A sugestão de Jeison Cristiano é elaborar um ponche.

Bebida clássica, leve e com baixo teor alcoólico, já que leva bastante gelo no preparo, ela tem espumante, vinho branco, refrigerante de guaraná, além de suco de laranja e frutas picadas – abacaxi, maçã, kiwi, uvas, pêssego e laranja.

Experimente servir em uma taça de cristal e decorar com alguma das frutas usadas cortada em fatias e fixada na borda do recipiente!

Seguindo a onda dos democráticos, o barman do Nimbos Bar, em BH, Max Faustino, sugere o OMG! Best Tea Ever! (Oh, meu Deus! O melhor chá de todos, na tradução para o português).

Servido em taças de água ou de vinho, o drink tem base de rum e uma surpreendente combinação de maracujá, cítrico, com chá preto e hortelã. “É bem refrescante e aromatizado”, define Max.

Além disso

Não é mera frescura! Cada tipo de bebida exige, sim, um copo específico, seja para preservar o aroma, seja para manter a temperatura adequada.

Os vinhos, por exemplo, se diferenciam não só pela cor, mas pelas “necessidades”. O branco deve ser servido em taça um pouco menor, preservando a temperatura. Já o tinto, requer uma taça com bojo maior para manter aroma e sabor.

O espumante, por sua vez, merece taças longas e finas (flute) para que as bolhas não se percam com facilidade.

E os coquetéis de frutas costumam ser servidos em taças mais “bojudas”, principalmente os cremosos.

Se for beber vodca pura, escolha um copinho fino e de base grossa para evitar que o calor das mãos esquente a bebida.

VERSÁTIL - Uma das bebidas mais lembradas nas festas de fim de ano, o espumante, sobretudo o brut (seco), é carta curinga no preparo de drinks. Vai bem com frutas variadas e vinho branco (ponche), misturado ao suco de laranja (mimosa) ou ao de pêssego (bellini) ou simplesmente puro, servido geladinho num bela taça acompanhado de um generoso morango

Da Redação com HD




Publicidade
Publicidade

Links patrocinados