Menu

Escala de setembro é definida com novas regras pelo Governo de MG que garante fim do atraso dos salários

O governo de Minas começa a pagar aos cerca de 600 mil servidores o salário de setembro, pelo mês trabalhando em agosto, nesta quinta-feira, dia (13). A escala foi definida na manhã desta segunda-feira (10) em reunião com sindicatos e, de acordo com o estado, desta vez não vai ter atraso.

Foto: Carlos Alberto / Imprensa MG/ Pimentel criou, em agosto, um comitê para discutir salários com os servidoresFoto: Carlos Alberto / Imprensa MG/ Pimentel criou, em agosto, um comitê para discutir salários com os servidores

Após protestos do funcionalismo dentro da Cidade Administrativa nas últimas semanas, as regras do parcelamento foram mudadas e também foi garantido que aposentados e pensionistas receberão junto com os trabalhadores da ativa.

Segundo acertado na reunião, vai continuar havendo duas formas de pagamento: uma para os servidores da Segurança, Fhemig, Hemominas e Ipsemg (essas duas últimas categorias foram incluídas neste mês de setembro) e outra para os da Educação e demais carreiras.

Parcela muda de R$ 1,5 mil para R$ 2 mil

Pela escala de setembro, todos recebem a primeira parcela no dia 13, sendo R$ 3 mil para o grupo da Segurança e Fhemig e R$ 2 mil (em vez dos R$ 1,5 mil) para o restante. Quem recebeu R$ 2 mil terá um complemento de mais R$ 1 mil no dia 20 de setembro.

A última parcela, com o restante dos salários, será paga no dia 26 ao grupo da segurança e Fhemig e no dia 28 para o da educação e demais carreiras.

Sem atraso

O secretário em exercício de governo Francisco Moreira reconheceu que a definição das datas foi tardia este mês, mas garantiu que não vai haver mais atrasos. Ele também afirmou que as datas são para todos, ou seja, estão contemplados profissionais da ativa, aposentados e pensionistas.

“Os meses que aconteceram atrasos foi por causas decorrentes do mês, nada programado. Neste mês temos segurança de que as datas serão completamente cumpridas. Não haverá atraso”, disse.

Mudança 'cumprível'

De acordo com Francisco, a diferença é que neste mês o pagamento dependerá apenas de recursos do tesouro estadual. “A gente pede desculpa pelos atrasos no passado, mas foram fatos ocasionados por fatores como a greve dos caminhoneiros e o bloqueio das contas feito pelo Temer. Mas neste mês o pagamento será feito com arrecadação própria, única do estado, e portanto vamos conseguir cumprir o escalonamento sem problemas”, disse.

Sobre o aviso tardio das datas aos servidores, o secretário disse que o pedido para que se ampliasse o debate veio do próprio funcionalismo. “Houve uma solicitação dos servidores e o governo entendeu por reduzir o escalonamento para um formato que seja cumprível. Eles entenderam que a situação do estado é difícil e conseguimos um consenso para essas duas parcelas”, disse.

Parcela e complemento

Moreira negou que parte dos servidores ainda estejam recebendo em três parcelas. Segundo ele, será uma parcela seguida de um complemento e outra parcela. O grupo terá outra reunião no dia reunião no dia 21 de setembro para continuar as conversas sobre o parcelamento, mas ainda não será para definir a escala do mês seguinte. As próximas datas serão definidas em reunião no fim de setembro ou início de outubro.

De acordo com o secretário, a ideia é melhorar o parcelamento para o mês de outubro. A princípio, segundo Moreira, a ideia é tentar antecipar as datas de pagamento mantendo os valores das parcelas.

Confira a escala de setembro:

Para os servidores do IPSEMG, FHEMIG, HEMOMINAS e Segurança Pública (ativos, inativos e pensionistas):

13/9 (quinta-feira): 1ª parcela de até R$ 3.000.

26/9 (quarta-feira): 2ª parcela restante do salário.

Para os demais servidores da educação e demais categorias (ativos, inativos e pensionistas):

13/9 (quinta-feira): 1ª parcela até R$ 2.000

20/9 (quinta-feira): complemento de até R$ 1.000

28/9 (sexta-feira): restante do salário.

 

Com Estado De Minas




Publicidade
Publicidade

Links patrocinados