Menu

Etanol fica mais caro e preço da gasolina tem alta de 2,41% em BH e Região Metropolitana

Ficou mais caro abastecer o carro em setembro. De acordo com pesquisa realizada pelo site Mercado Mineiro em 130 postos de Belo Horizonte e Região Metropolitana, a gasolina teve alta de 2,41% em um intervalo de 25 dias, enquanto o diesel teve alta média de 6,54% - equivalente a um aumento médio de R$ 0,23 por litro. A pesquisa foi feita entre os dias 2 e 6 de setembro. Os valores avaliados foram comparados com um levantamento do dia 12 de agosto.

Foto: reprodução internet/ Até mesmo o etanol, ficou mais caro nos últimos diasFoto: reprodução internet/ Até mesmo o etanol, ficou mais caro nos últimos dias

Em alguns postos da região Centro-Sul de Belo Horizonte e de Nova Lima, o litro da gasolina chegou a ficar acima de R$ 5. No posto Luxemburgo, a gasolina estava custando R$ 5,195, enquanto no posto Belvedere o combustível era encontrado por R$ 5,099. Já o litro diesel chegou a custar R$ 4,099 no posto Cleargel, na Pampulha. A variação de preços entre postos na Região Metropolitana pode chegar a 35%.

Até mesmo o etanol, que vinha acumulando decréscimos nos valores nos últimos meses, por causa de uma boa safra na cana-de-açúcar, ficou mais caro nos últimos dias. O aumento médio foi de 1,98% e o preço médio é de R$ 2,892. Em alguns estabelecimentos, os valores já superam os R$ 3, como o posto Rodike, no bairro Santa Efigênia, que estava vendendo o etanol a R$ 3,199.

“A gasolina ficou mais cara porque houve um aumento da Petrobras repassado aos consumidores, mas o etanol vinha sempre como uma opção mais barata. Mas nos últimos dias o litro desse combustível ficou seis centavos mais caro e não sabemos se é porque a safra acabou ou porque houve um aumento da demanda”, avalia Feliciano Abreu, coordenador do site Mercado Mineiro.

Ele acredita que a tendência nesta semana é de uma estabilização nos preços das bombas. É possível até uma baixa pequena nos valores porque muita gente encheu o tanque na semana passada por causa do medo de ficar sem combustível durante uma nova greve dos caminhoneiros – que não se confirmou. “Mas é difícil fazer uma previsão econômica em um país em que há tantas mudanças políticas”, completa.

Efeito cascata

Abreu alerta: o aumento de 6,54% no preço do diesel pode provocar um efeito cascata na economia e ser responsável pela inflação de diversos produtos, já que o transporte terrestre é o mais usado no país. “Nós vamos perceber os aumentos nos supermercados e sacolões, pois os empresários vão repassar o custo ao consumidor”.

O site Mercado Mineiro decidiu adiantar a pesquisa de preços para registrar a alta de valores nas bombas por causa da corrida aos postos entre os dias 1º e 3 de setembro. Após notícias sobre o estado de greve dos tanqueiros e rumores de uma possível greve dos caminhoneiros, muita gente enfrentou filas nos postos para não correr o risco de ficar sem combustível.

Confira o resultado da pesquisa aqui.


Com Hoje Em Dia




Publicidade
Publicidade

Links patrocinados