Menu

Previsão para Minas é de primavera quente e com chuva abaixo da média

Quando o relógio marcar 22h54 no próximo sábado será dado início a primavera. Neste ano, a estação das flores deve ser com pouca chuva e calor acima da média histórica em Minas Gerais, de acordo com as previsões dos meteorologistas. Os dados acendem um alerta quanto aos níveis dos reservatórios e o abastecimento de água. Ao menos oito cidades mineiras já estão em racionamento de água. Além disso, 103 municípios já decretaram situação de emergência por causa da estiagem ou seca na temporada 2017/2018.

Foto: ilustrativa / reprodução internetFoto: ilustrativa / reprodução internet

A primavera vai ter fim somente em 21 de dezembro, exatamente às 19h23 daquele dia. A estação é caracterizada pela transição do período seco, mais caracterizado no inverno, para o tempo úmido e quente, que equivale ao verão. Neste ano, a atuação, mesmo que fraca, do El Niño, pode intensificar o calor e provocar chuvas abaixo da média histórica. “A característica do el nino é principalmente esses desvios das instabilidades. Há riscos das chuvas ficarem mal distribuídas e um pouco mais irregulares na maior parte das áreas do país, principalmente entre novembro e dezembro. Teremos chuva mais mal distribuídas, principalmente no início, no finalzinho de setembro e ao longo de outubro”, explicou Graziela Gonçalves, meteorologista do Instituto Climatempo.

Em Minas Gerais, a previsão é de muito calor, mas com menos chuva do que a média histórica. “Em outubro, novembro e dezembro, devemos ter chuva em formas de temporais. Mas, este ano teremos pouca chuva neste trimestre historicamente chuvoso. As temperaturas também serão altas, ao menos dois graus acima da média”, explica o meteorologista Ruibran dos Reis, do Instituto Climatempo. “Essa situação requer uma atenção com os reservatórios e com os incêndios. Em outubro, principalmente, que é historicamente um mês com altos índices de focos de queimadas”, disse.

As temperaturas altas, aliadas com a chuva abaixo da média, também servem de alerta para o abastecimento de água em cidades mineiras. Dados da Defesa Civil de Minas Gerais indicam que 103 cidades mineiras já decretaram situação de emergência por causa da estiagem e a seca. Em Sete Lagoas, o SAAE afirma que o abastecimento está garantido para os próximos meses, mas que é sempre recomendado economizar.

Da Redação Com EM




Publicidade
Publicidade

Links patrocinados