Menu

Conhecido como 'Breaking Bad' de BH, acusado de fabricar e traficar metanfetaminas é condenado a 6 anos de prisão

Conhecido como "Breaking Bad" de Belo Horizonte, em alusão à série em que um professor de química se torna um fabricante de metanfetaminas, o estudante de química Mateus Teixeira de Souza foi condenado pela Justiça a 6 anos e 8 meses de prisão, em regime semiaberto, por tráfico de drogas.

Drogas foram apreendidas na casa do estudante Reprodução / Record TV MinasDrogas foram apreendidas na casa do estudante Reprodução / Record TV Minas

De acordo com a denúncia do MPMG (Ministério Público de Minas Gerais), uma investigação policial indicou que o estudante, que morava em uma república, comercializava e armazenava drogas em sua casa, no Bairro São Francisco, região da Pampulha, em Belo Horizonte.

Ele foi preso em novembro do ano passado depois que policiais encontraram na casa do estudante “quantidade expressiva e variada de substâncias entorpecentes sintéticas, além de maconha geneticamente modificada, denominada 'Vanilla Kush', MDMA, popularmente conhecido como ecstasy, LSD líquido e em selos, cristais, óleos de cânhamo, entre outras substâncias entorpecentes”, segundo o MP.

Em seu depoimento à Justiça, o acusado negou a prática de tráfico, afirmando que os produtos apreendidos eram para uso próprio. Alegou ainda que algumas das substâncias eram usadas como medicamentos, a partir de indicação médica, que usava as drogas por recreação, que tem depressão e ansiedade, mas que usava outros remédios além dos indicados pelos médicos.

Durante o processo, foram colhidos depoimentos de quatro testemunhas de acusação e outras quatro de defesa. As testemunhas de acusação confirmaram as investigações realizadas pelo Ministério Público e, as de defesa, disseram que o acusado sofre de depressão e realizava tratamento médico.

Na decisão, o juiz Fausto Bawden de Castro Silva ressaltou que a apreensão das drogas foi fruto de um trabalho de investigação e destacou a “significativa quantidade e variedade de entorpecentes, além de balanças de precisão e material comumente utilizado para acondicionar drogas”.

“Pesa ainda em desfavor do acusado o relatório circunstanciado de investigação, dando conta de que Mateus tem envolvimento direto com o tráfico de drogas. Inclusive, durante o período de campanha, os policiais visualizaram o réu em atitudes típicas de narcotráfico, eis que por diversas vezes realizava contatos com transeuntes, de forma rápida, nas imediações de sua residência, o que por ora restou comprovado através da fotografia anexada nos autos durante o trabalho de campo policial”, registrou o magistrado.

Com R7 Notícias




Publicidade
Publicidade

Links patrocinados