Menu

Homem morto em ônibus de BH era professor da UFMG

O professor da Universidade Federal de Minas Gerais e fundador do projeto Manuelzão, Antônio Leite Alves Radicchi, de 60 anos, morreu após ser esfaqueado, na manhã desta segunda-feira (13), em um ônibus de Belo Horizonte.

Um casal entrou no coletivo 9805 (Santa Efigênia/Renascença) e anunciou o assalto, segundo relato de testemunhas à Polícia Militar (PM).
Radicchi chegou a ser socorrido e encaminhado em estado grave para o Hospital de Pronto-Socorro Odilon Behrens, mas, segundo assessoria de imprensa do hospital, não resistiu ao ataque e morreu.

Crime foi cometido dentro de coletivo em BH/Foto: DivulgaçãoCrime foi cometido dentro de coletivo em BH/Foto: Divulgação

Amigo do professor e co-fundador do projeto Manuelzão, Apolo Heringer conta que a vítima quase não usava carro. “Andava sempre de ônibus. Ele era um cara simples e extremamente correto. Uma coisa impressionante. Ele foi criado no conjunto IAPI e foi ali que ele foi morto. Olha como é a vida", lamenta.

Segundo informações de militares do 16º Batalhão da PM, o autor do crime e a namorada dele, de 23 anos, entraram no coletivo e anunciaram o assalto, na altura do bairro Concórdia, região Nordeste de Belo Horizonte.

De acordo com a Polícia Civil, todos os envolvidos foram encaminhados à Central de Flagrantes (Ceflan) I para prestarem depoimentos.

O CRIME

De acordo com o que testemunhas disseram à polícia, o autor parecia conhecer o professor, chamando-o de “Toninho”. Durante o anúncio do assalto houve uma discussão entre os dois e o autor teria falado para o professor que “sua hora chegou, vai me levar pra Pedreira agora? Vai?”, teria dito em tom de ameaça.

Ainda segundo a PM, houve luta corporal entre os dois e o assaltante efetuou vários golpes de faca no professor. O casal de assaltantes fugiu com uma mochila e um celular. Ainda segundo informações dos militares, o motorista do ônibus chegou a levar o homem ferido para o Hospital Odilon Behrens.

Durante buscas pelo bairro Concórdia, o casal foi localizado na casa onde moram. Conforme militares, no local foi encontrado uma jaqueta suja de sangue.

A mochila e o celular não foram encontrados.

O suspeito disse à polícia que a intenção não era roubar, mas vingar-se de Antônio Leite que, na semana passada, durante uma briga de bar no bairro Floresta teria quebrado garrafas de vidro na cabeça dele.

Da Redação com OT




Publicidade
Publicidade

Links patrocinados