Menu

Estado alega inviabilidade de manter presídio feminino de Paraopeba e decide desativá-lo

O presídio feminino de Paraopeba foi desativado. Num despacho do secretário de Estado de Administração Prisional (SEAP) Francisco Kupidlowski, os presos deverão ser remanejados para a penitenciária feminina José Abranches Gonçalves, que fica em Ribeirão das Neves.

Foto: Paulo Rodrigues / Google Foto: Paulo Rodrigues / Google

A decisão foi publicada na edição desta quarta-feira (7) no Diário Oficial de Minas Gerais, mas a desativação da cadeia já tinha sido feita na manhã do dia anterior. Já havia o rumor da desativação do presídio feminino - que atendia toda a região. A decisão foi tomada após reuniões com representantes da 19ª Região Integrada de Segurança Pública (RISP), juízes e promotores locais, além da Subsecretaria de Segurança Prisional (SUSEP).

Segundo a SEAP, foi realizado estudos de viabilidade de manutenção das cadeias públicas de todo o estado e foi verificado que não há condições de manter o presídio feminino de Paraopeba - sendo assim, encerrado.

Agora, as presas da 19ªRISP, além de outras cidades atendidas pela comarca de Paraopeba serão encaminhadas para Ribeirão das Neves. As cidades que compõem a 11ª Companhia Independente da Polícia Militar (Pedro Leopoldo, Matozinhos, Prudente de Morais e Capim Branco) já faziam o encaminhamento para a penitenciária José Abranches Gonçalves.

Por enquanto, ainda não tem informação de qual será o destino do prédio. Mas, no despacho do SEAP, foi definido que parte dos servidores do presídio serão encaminhados para Curvelo e Sete Lagoas - a cidade também receberá o mobiliário e armamentos desta cadeia. A penitenciária de Matozinhos ficará com os veículos.

Mesmo com a desativação do presídio, segundo assessoria do 19º DP, não há problemas com a situação prisional de Sete Lagoas e região.

Filipe Felizardo




Publicidade
Publicidade

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar