Menu

Policial que cometeu feminicídio em Santa Luzia fugiu de custódia da PCMG

O investigador da Polícia Civil Paulo José de Oliveira, de 40 anos, que matou três mulheres em Santa Luzia, na região metropolitana de Belo Horizonte, nesta terça-feira (15), conseguiu fugir da Casa de Custódia da corporação horas antes de cometer o triplo homicídio. O policial foi preso ano passado após ser denunciado pelos estupros de duas das vítimas. Uma condenação nesta semana pelo caso teria motivado a vingança.

Foto: Paulo Filgueiras/ EM/ D.A Press - Mãe e duas filhas foram encontradas mortas na sacada do segundo andar da casaFoto: Paulo Filgueiras/ EM/ D.A Press - Mãe e duas filhas foram encontradas mortas na sacada do segundo andar da casa

Por meio de nota, a Polícia Civil informou que abriu procedimento administrativo para apurar as circunstâncias em que ocorreu a fuga e uma possível responsabilidade de servidores da Casa de Custódia, localizada na região Leste da capital. O caso é investigado pelo Departamento Estadual de Investigação de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

Os crimes ocorreram na madrugada. Segundo informações do boletim de ocorrência, o companheiro de Luciana Carolina Petronilho, de 40 anos, contou que a família estava dormindo quando Oliveira arrombou o portão e ordenou que ele e a filha mais velha de Luciana saíssem.  

Em seguida, o investigador foi em direção à Luciana e as filhas dela, Nathalia Diovana Petronilho, de 18, e Victoria Regina Graciano Petronilho, de 15, e atirou contra as elas. Logo depois, o policial atirou contra a própria cabeça. Ele chegou a ser socorrido, mas não resistiu aos ferimentos.

Ainda segundo o companheiro de Luciana, a motivação do crime seria a condenação de Oliveira pelo crime de estupro, contra as vítimas Nathalia e Victoria em data anterior.

Os abusos teriam acontecido em 2017, época em que ele era amigo da família. Ainda não há informações de velório e sepultamento das vítimas.

Da redação com O Tempo




Publicidade
Publicidade

Links patrocinados