Menu

Polêmica em casa noturna de Sete Lagoas envolve possível irregularidade em valor de comanda e atrito entre clientes e estabelecimento

Na madrugada de quarta-feira (18),  a polícia militar foi acionada a comparecer na Rua Silvano Gozer, Distrito Industrial, em uma famosa casa noturna de Sete Lagoas. Segundo o boletim de ocorrência,  foi registrado um desacordo comercial entre clientes da boate e a gerência do estabelecimento.

Foto: divulgaçãoFoto: divulgação

O cliente J.P. de 24 anos, relatou que ele e seus amigos consumiram ao todo 16 cervejas e uma Amarula e que a conta ficaria cerca de R$ 200,00, mas quando pediram para somar as comandas a conta deu R$ 1.175,00.

Segundo J.P.,  após seu amigo pedir a revisão da soma e reclamar do valor, funcionários do estabelecimento sumiram as comandas e pegaram seu documento, impedindo-os de sair do local, os ameaçando e retendo seus pertences. “Eu liguei para minha advogada que acionou a polícia”, afirma o rapaz. Ele ainda relata que o fato aconteceu durante a madrugada, por volta das 2h e a gerência da casa só permitiu a saída deles por volta das 6h na presença da polícia.

A gerente do estabelecimento alega que os rapazes consumiram e não quiseram pagar a conta, sendo eles que sumiram a comanda.

A reportagem do SeteLagoas.com.br  entrou em contato com o proprietário do estabelecimento que relatou confirmando que os clientes consumiram e não quiseram pagar a conta.

Diante dos fatos, a polícia registrou boletim de ocorrência em acordo entre as partes, os clientes pagaram a quantia de R$ 250,00 e receberam a nota fiscal do local. Todos foram liberados, pois não havia testemunha que comprovasse a troca de ameaças entre funcionários e clientes.

Da redação 

Polêmica em casa noturna de Sete Lagoas envolve possível irregularidade em valor de comanda e atrito entre clientes e estabelecimento

Na madrugada de quarta-feira (18),  a polícia militar foi acionada a comparecer na Rua Silvano Gozer, Aeroporto Industrial, em uma famosa casa noturna de Sete Lagoas. Segundo o boletim de ocorrência,  foi registrado um desacordo comercial entre clientes da boate e a gerência do estabelecimento.

O cliente J.P. de 24 anos, relatou que ele e seus amigos consumiram ao todo 16 cervejas e uma Amarula e que a conta ficaria cerca de R$ 200,00, mas quando pediram para somar as comandas a conta deu R$ 1.175,00.

Segundo J.P.,  após seu amigo pedir a revisão da soma e reclamar do valor, funcionários do estabelecimento sumiram as comandas e pegaram seu documento, impedindo-os de sair do local, os ameaçando e retendo seus pertences. “Eu liguei para minha advogada que acionou a polícia”, afirma o rapaz. Ele ainda relata que o fato aconteceu durante a madrugada, por volta das 2h e a gerência da casa só permitiu a saída deles por volta das 6h na presença da polícia.

A gerente do estabelecimento alega que os rapazes consumiram e não quiseram pagar a conta, sendo eles que sumiram a comanda.

A reportagem do SeteLagoas.com.br  entrou em contato com o proprietário do estabelecimento que relatou confirmando que os clientes consumiram e não quiseram pagar a conta.

Diante dos fatos, a polícia registrou boletim de ocorrência em acordo entre as partes, os clientes pagaram a quantia de R$ 250,00 e receberam a nota fiscal do local. Todos foram liberados, pois não havia testemunha que comprovasse a troca de ameaças entre funcionários e clientes.




Publicidade
Publicidade

Links patrocinados