Menu

Homem ‘se masturba’ dentro de ônibus enquanto abusa de jovem, que filma ação

Uma jovem de 21 anos foi a mais nova vítima de crime sexual dentro do transporte coletivo de Belo Horizonte. A assistente pessoal foi importunada sexualmente na manhã desta quinta-feira (14), na linha do MOVE 62 (Estação Venda Nova/Savassi), por um homem que esfregou seu órgão genital no braço dela e ainda se masturbou.

Fato ocorreu na na linha do MOVE 62 (Estação Venda Nova/Savassi)/Foto: Arquivo e Amanda DiasFato ocorreu na na linha do MOVE 62 (Estação Venda Nova/Savassi)/Foto: Arquivo e Amanda Dias

A mulher embarcou no ônibus por volta das 7h50, na estação Venda Nova, para ir ao trabalho, um escritório de advocacia. Ela sentou-se em um banco mais ao fundo do coletivo e percebeu que um homem, que também estava na mesma estação, ficou ao lado dela.

A assistente, então, que chegou a confrontar o homem – o qual ela vê com frequência no ônibus – reclamando da proximidade e perguntando se ele estava com algum problema: “Ele não falou nada, só foi para outro lugar, como se fosse descer no próximo ponto”.

Mais tarde, quando desceu do ônibus, a vítima contou que estava horrorizada, tremendo e chorando e, somente quando chegou ao seu local de trabalho, recebeu apoio dos colegas e foi orientada a registrar uma denúncia, o que foi feito na Polícia Civil.

Já o autor do crime sexual desceu do ônibus normalmente, sem que nada tivesse ocorrido. “Ninguém levantou, ninguém me ajudou, ninguém fez nada… Então foi uma coisa muito difícil para mim, porque eu não consigo agir sozinha. Eu não consegui, foi de surpresa. A gente nunca espera que aconteça, mas aconteceu e ninguém se prontificou”, desabafa, ao relatar a falta de apoio e empatia de outros passageiros.

Veja o vídeo através do link:

https://twitter.com/i/status/1195105193014300672

Crime
O crime de importunação sexual se tornou lei no ano passado e é caracterizado pela realização de ato libidinoso na presença de alguém e sem sua anuência. O caso mais comum é o assédio sofrido por mulheres em meios de transporte coletivo, assim como o que foi registrado pela assistente na manhã de hoje. Antes, isso era considerado apenas uma contravenção penal, com pena de multa. Agora, quem praticá-lo poderá pegar de 1 a 5 anos de prisão.

Já o crime de estupro é previsto no art. 213, e consiste em “constranger alguém, mediante violência ou grave ameaça, a ter conjunção carnal ou a praticar ou permitir que com ele se pratique outro ato libidinoso”. Mesmo que não exista a conjunção carnal, o criminoso pode ser condenado a uma pena de reclusão de 6 a 10 anos.

Sobre o caso específico na linha 62, o BHAZ entrou em contato com a Polícia Civil para saber como estão as investigações. No entanto, a corporação não atendeu a demanda até esta publicação. Tão logo responda, esta reportagem será atualizada.

Da Redação com BH




Publicidade
Publicidade

Links patrocinados