Menu

Ministro das Cidades vem à cidade para liberar construção da Estação de Tratamento de Esgoto

Sete Lagoas recebe no próximo sábado (3), a visita do ministro das Cidades Alexandre Baldy. Acompanhado do prefeito Leone Maciel ele vai participar de um ato de grande importância para toda a região. Será assinada a Ordem de Serviço para a construção da tão sonhada Estação de Tratamento de Esgoto (ETE). 

Ministro das cidades, Alexandre Baldy/ Foto: arquivo pessoalMinistro das cidades, Alexandre Baldy/ Foto: arquivo pessoal

“Esta será a maior obra de saneamento de Sete Lagoas e da região. Vamos deixar de jogar no Rio das Velhas todo o esgoto coletado pelo SAAE e, dessa forma, também deixaremos de prejudicar os municípios que são diretamente afetados por essa contaminação”, comemora Leone Maciel.

A definição da agenda do ministro em Sete Lagoas ocorreu no início da tarde desta quinta-feira, 1º. Ele decidiu remanejar seus compromissos pela importância do investimento que o Governo Federal faz nesse projeto. Alexandre Baldy chega em Sete Lagoas na parte da manhã e participa de uma solenidade para formalizar o início da obra.

O sonhado projeto da ETE está ancorado por R$ 70.972.000,00 do PAC Saneamento Básico (Contrato n° 0424.406-56). Verba oriunda de fundo perdido do Orçamento Geral da União (OGU). Ainda no primeiro ano de sua administração, Leone Maciel comemorou a liberação dos licenciamentos ambientais primordiais para este tipo construção e, consequente, operação do sistema.

ESGOTO

Sete Lagoas coleta cerca de 97,50% de seu esgoto sanitário, mas somente 10% deste total são tratados por meio de mini-estações sob responsabilidade do SAAE. Os outros 90% são despejados “in natura” nas bacias dos Córrego dos Tropeiros e do Ribeirão Matadouro.

NOSSA ETE

A ETE será construída na comunidade de Areias, região do bairro Tamanduá, em uma área de 111.793 metros quadrados. Os limites ao sul, leste e norte com área são com a Embrapa e a oeste com o Ribeirão Matadouro. O sistema de tratamento contará também com a construção de seis novos interceptores, perfazendo 13.171 Km, três linhas de recalque, totalizando 8.373 Km, três estações elevatórias e um emissário.O empreendimento foi projetado para atender uma população inicial de 227 mil habitantes, com o horizonte final para o ano de 2035, quando é estimada uma população de 294.182 mil habitantes em Sete Lagoas.

Com Ascom PMSL




Publicidade
Publicidade

Links patrocinados