Menu

Ex-governador Eduardo Azeredo se entrega à polícia na tarde desta quarta-feira

O ex-governador de Minas Gerais Eduardo Azeredo (PSDB) chegou à 1ª Delegacia Distrital da Polícia Civil, no bairro de Santo Antônio, na tarde desta quarta-feira (23) em um carro descaracterizado para se entregar às autoridades após ser considerado foragido. O tucano era alvo de um mandado de prisão expedido na noite da última terça-feira (22) por conta de sua condenação na Justiça mineira.

Foto: Jorge WilliamFoto: Jorge William

O ex-governador é acusado de realizar desvios de cerca de R$ 3,5 milhões de estatais mineiras para caixa dois da campanha à reeleição ao estado em 1998 e deverá cumprir pena de 20 anos e um mês. A defesa do ex-governador nega o envolvimento dele nos crimes.

A prisão ocorre treze anos após o início das investigações, abertas no tempo em que Azeredo ainda era deputado federal. Em 2014, para não prejudicar a campanha à Presidência do também mineiro Aécio Neves, o ex-governador de Minas renunciou ao cargo, o que fez o processo voltar á primeira instância em Minas Gerais.

Semana passada, a primeira instância em Minas condenou o vice na chapa à reeleição de Azeredo, Clésio Andrade (PSDB), por envolvimentos no mesmo esquema.

Na última terça-feira Azeredo teve negados seus embargos declaratórios por unanimidade da 5ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJ-MG). Ele também teve seu pedido pela espera de um acórdão para a emissão de sua prisão negado no mesmo dia, dessa vez por quatro votos a um.

Todos os quatro desembargadores votaram pela rejeição dos embargos de Azeredo, seguindo o relator Julio César Lorens, que reafirmou que a prisão deve ser efetuada de acordo com o entendimento do Supremo Tribunal Federal (STF). Votaram contra o recurso da defesa Pedro Vergara, Adilson Lamounier, Alexandre de Carvalho (revisor), Fernando Caldeira Brant (substituto).

A defesa de Azeredo também entrou com um pedido de habeas corpus no Superior Tribunal de Justiça (STJ), que pode ser julgado ainda nesta quarta-feira pelo ministro Jorge Mussi. Ainda resta recurso no Supremo Tribunal Federal (STF).

FORAGIDO

Azeredo chegou à delegacia por volta das 14h45 acompanhado de seu filho e advogado. Ele era procurado pela Polícia Civil desde a manhã desta quarta-feira, que passou a o considerar foragido. De acordo com informações reveladas pelo blog de Merval Pereira, Azeredo teria atrasado sua entrega para se "consultar com o seu cardiologista".

Após se entregar, ele segue para o Instituto Médico Legal (IML), na Região Oeste, para exame de corpo delito. O ex-governador será então transferido para uma instalação militar onde cumprirá pena.

A determinação foi feita em ofício enviado ao Ministério Público pelo juiz de execução penal Luiz Carlos Rezende e Santos, que diz que, pelo "inegável status" de ex-chefe do Executivo Estadual, Azeredo ficará recluso em uma sala do Estado Maior instalada num batalhão militar — de preferência do Corpo de Bombeiros, salienta o magistrado, pelo menor fluxo de pessoas.

O juiz determinou também que, "salvo em situações excepcionalíssimas", o tucano fica dispensado do uso de algemas.

Com O Globo




Banner Camara Municipal 220518
Publicidade
Publicidade

Links patrocinados