Menu

Forças de segurança apresentam números, em Audiência, que atestam queda na criminalidade

Polícias Civil, Militar, Conselhos, Executivo, Legislativo, Estado e todas as forças de segurança do município juntas para conhecer e debater os avanços e desafios da segurança pública de Sete Lagoas e região. Com esse objetivo diversas autoridades se reuniram no Plenário da Câmara Municipal, nessa quinta-feira (21), para Audiência Pública requerida pelo presidente do Legislativo.

Foto: Ascom CMSLFoto: Ascom CMSL

Cláudio Caramelo (PRB) abriu o encontro lembrando de sessão realizada ano passado. “Estamos fazendo outra hoje para avaliar o que avançou desde a última e quais os desafios temos que atacar. Por isso reunimos quem comanda a segurança pública da cidade”.

Falando em aprender com quem gere a segurança, o prefeito Leone Maciel falou que “todos os gestores precisam ouvir e fazer constantemente uma administração que vá ao encontro do que as pessoas desejam. Quanto mais a gente ouve, menos a gente erra. Por isso estamos aqui. É preciso fazer com que as políticas públicas sejam discutidas”.

Palestras

O comandante da 19° Região de Polícia Militar (RPM), CEL Baracho, dividiu o que chamou de prestação de contas com o comandante do 25° Batalhão de Polícia Militar (BPM) de Sete Lagoas, Ten. Cel. Luiz Marinho que entende que a “descentralização fez toda diferença. O estado possui 19 comandos regionais e Sete Lagoas foi a última cidade a receber uma RPM”.

Baracho exemplificou que com a criação da 19° RPM foi extinta a Companhia de Missões Especiais (Cia Mesp) que prestava serviço em toda região de Curvelo. “Com a criação da RPM os militares passaram a atuar 30 dias por mês em Sete Lagoas, não mais em toda região, o que fez impactar diretamente na redução dos índices de violência da cidade”.

A criação possibilitou também a chegada de novos 50 militares e mais 45 viaturas, além das bases móveis de segurança que são duas (CAT e Nova Cidade). “Durante o ano passado todo tivemos 40 homicídios e nesse primeiro semestre foram 10. Então, se dobrar até o fim do ano teremos uma queda de 50% nos números de homicídios em 2018 em relação a 2017”, comemorou Luiz Marinho.

Do Executivo, o secretário municipal de Segurança, Trânsito e Transporte, Wagner Oliveira, falou na sequência e parabenizou Caramelo pela iniciativa. A tecnologia, de acordo com Oliveira, foi a arma usada pelo município para contribuir com as forças de segurança. “Tivemos um upgrade nos nossos radares que agora atuam também no monitoramento dos veículos. Se um carro roubado passa por um dos portais um alerta é disparado. Aí as forças de segurança são acionadas”.

A Polícia Civil (PC) esteve representada pelo delegado Alexandre Corrêa que apresentou números sobre os avanços recentes da corporação na cidade. “Chegaram 25 novos investigadores, temos um novo Instituto Médico Legal (IML) e um laboratório toxicológico”, disse. A PC conquistou ainda nos últimos tempos quatro viaturas, novos equipamentos de informática, além de R$ 50 mil que foram empenhados para reforma da delegacia de Baldim, que faz parte da regional de Sete Lagoas.

Outra importante força de segurança foi o Corpo de Bombeiros representado pelo subcomandante da 5° Companhia Independente, Capitão Ulisses Oliveira. O oficial explicou o processo de mudança, este ano, da companhia que foi elevada a companhia independente o que proporciona mais autonomia administrativa. A 5° Cia Ind atende hoje a 17 cidades e recebeu, este mês, mais dois oficiais.

Encerrando a fase de explanações o deputado estadual Douglas Melo falou das batalhas, junto ao Estado, pela busca de recursos. Douglas elencou os avanços conquistados nos últimos anos como chegada de viaturas e policiais que contribuíram com a queda de 40% no número de roubos e 30% nas ocorrências de homicídios em comparação ao ano passado. “A gente vai em busca agora da nova sede regional para a Polícia Civil”, prometeu.

Vereadores

Marli de Luquinha (PSC) parabenizou a todos pelas apresentações e disse que “saímos daqui todos felizes pelos resultados apresentados”. Milton Martins (PSC) reforçou que “a gente nunca sentiu tanta segurança em estar em uma comunidade rural. Nunca aconteceram tantos investimentos como a gente vê agora. Trabalho que a muito não se via na cidade”.

O vereador Zé do União (PSL) já sentiu na pele os efeitos da violência quando foi comerciante e hoje enaltece o momento atual “onde a gente tem uma grande sensação de segurança”. E Gislene Inocência (PSD) destacou que a “prevenção é uma grande preocupação, nas escolas principalmente. Não podemos cruzar os braços e pensar que está ótimo”.

Responsável por receber os presos pela polícia, o diretor do presídio, Edson Peixoto, disse que “bom gestor não é o que sabe tudo, mas sim o que saber formar grandes equipes. Não podemos enxergar o sistema prisional com tanta discriminação. Estamos caminhando bem nesse sentido. São poucas cidades onde as forças de segurança têm esse link”, reconheceu em referência a união de esforços das corporações.

O diretor da Associação de Proteção e Assistência aos Condenados (APAC), Flávio Rocha, ponderou que que o sistema é o único alternativo ao modelo tradicional que existe hoje. O gestor adiantou que a capacidade da unidade de Sete Lagoas será dobrada nos próximos meses graças a um convênio com o Tribunal de Justiça.

“Hoje são 100 recuperandos e vamos, em breve, passar para 180 podendo chegar a 200. Os recursos já estão garantidos através de um convênio com o Tribunal de Justiça. Independente disso é preciso prevenir e não deixar as crianças entrarem no mundo do crime”, alertou.

Por fim o comandante da Guarda Civil Municipal (GCM) Fabrício Dênis assumiu que a união das forças “nos trouxe mais referência”. Concluindo a sessão Caramelo admitiu que “temos muita coisa para fazer”. Ele revelou uma cobrança recebida por uma equipe de saúde no presídio e disse que já encaminhou para o Executivo que vai analisar a viabilidade.

Para Caramelo a “audiência atingiu o objetivo, os números comprovam isso. Vamos fazer anualmente para registrar o que avançamos e o que não andou pra gente monitorar”, finalizou.

Com Ascom CMSL




Publicidade
Publicidade

Links patrocinados