Menu

Vereadores se familiarizam com moderno sistema eletrônico de votação que será usado na Câmara Municipal de Sete Lagoas

O sistema de votação eletrônico que será usado na Câmara Municipal de Sete Lagoas foi apresentado aos vereadores na quinta-feira (29). Os parlamentares fizeram o cadastro da biometria e simularam uma votação para se ambientarem com a moderna ferramenta. Deficiente visual, João Evangelista (PSDB) tem um terminal exclusivo em braile.

O sistema de votação eletrônico que será usado na Câmara Municipal de Sete Lagoas foi apresentado aos vereadores / Foto: AsCom CMSLO sistema de votação eletrônico que será usado na Câmara Municipal de Sete Lagoas foi apresentado aos vereadores / Foto: AsCom CMSL

Durante as Reuniões Ordinárias o sistema será operado por servidores da secretaria do Legislativo que vão “abrir a votação” quando o presidente colocar o projeto em pauta. Nesse momento, o vereador vai digitar um código (cada parlamentar possui um) e digitar a opção. Em tempo real, o voto, sim ou não, vai aparecer no telão que mostra também as abstenções, total de votos e a presença do vereador que será registrada através da biometria.

Cada vereador possui um terminal de votação na sua bancada de trabalho. Mas, se por algum motivo o parlamentar estiver em outro assento, o voto será computado da mesma forma, sem a possibilidade de o mesmo parlamentar votar duas vezes. “Essa possibilidade não existe porque o sistema só é liberado com o código pessoal do vereador, além da biometria. É muito seguro”, afirma o técnico responsável pela implantação do sistema, Lucas França.

Ainda de acordo com Lucas, “esse sistema está em 90% das casas legislativas do Brasil, como Assembleia de Minas e Câmara de Belo Horizonte”. A secretária executiva, Jaqueline Helena, é uma das responsáveis pela operação do sistema. Com mais de 20 anos de serviços na Casa ela acredita que “é um avanço fantástico para o Legislativo da cidade”.

Para o presidente da Câmara Municipal, Cláudio Caramelo (PRB), a nova forma de registrar o voto traz “ainda mais transparência e agilidade ao processo”. Caramelo entende também que “o fato de estarmos entre tantas Câmaras que usam o sistema comprova que seguimos o caminho certo”.

Já na próxima Reunião Ordinária os votos dos vereadores serão apurados pela nova tecnologia. Mas Jaqueline adverte que “pode demorar umas duas semanas para que todos entendam o mecanismo para que tudo transcorra com a agilidade que esperamos e eficiência 100%”.

Foto: AsCom CMSLFoto: AsCom CMSL

Com AsCom CMSL




Publicidade
Publicidade

Links patrocinados