Menu

Candidata do PSL em MG confirma ter recebido pedido para repassar verba de campanha

Em entrevista à TV Globo, Adriana Maria Moreira Borges confirmou ter recebido de Roberto Soares, então assessor parlamentar do hoje ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, uma proposta para repassar a outros candidatos R$ 90 mil dos R$ 100 mil que receberia para fazer campanha em 2018.

Foto: Reprodução/G1Foto: Reprodução/G1

“Eles depositariam R$ 100 mil na minha conta, do fundo partidário. Eu ficaria com R$ 10 mil nessa conta para fazer a minha campanha e emitiria dez cheques em branco, assinados por mim, porque com esse valor, com esse dinheiro, esses cheques ele iria pagar despesas de outros candidatos”, disse ela.

Adriana prestou depoimento ao Ministério Público na quinta-feira (7). Ela contou que participou de um evento do PSL em Belo Horizonte quando mulheres foram convidadas a se registrarem como pré-candidatas. O ministro Marcelo Álvaro Antônio, então presidente do PSL em Minas, também esteve presente.

Ela disse que depois que a candidatura dela a deputada federal foi aprovada, recebeu orientação do partido para abrir três contas bancárias, uma exclusiva para recursos do fundo partidário.

Adriana disse que se negou participar do esquema e recebeu R$ 4 mil do PSL. A candidata foi ouvida como testemunha da investigação da promotoria e polícia federal sobre os casos de outras cinco mulheres.

Em convenção, o partido decidiu que 30% dos recursos do fundo especial para financiamento de campanha seriam repassados às candidatas mulheres com valores definidos pela executiva nacional.

Em Brasília, a defesa do ministro desistiu de pedir novamente ao Supremo Tribunal Federal foro privilegiado para Marcelo Álvaro Antônio neste caso das candidaturas laranjas.

Nessa sexta-feira (8), em entrevista depois de um evento com embaixadores no palácio do planalto, o presidente Jair Bolsonaro comentou sobre as investigações envolvendo o ministro do turismo.

Em nota, Roberto Soares negou as acusações. "Posso te afirmar com 100% de certeza que essa senhora está mentindo. Lamentavelmente existe uma campanha de difamação na tentativa de atingir o Ministro Marcelo Álvaro Antonio e o presidente Bolsonaro com denúncias sem fundamento", disse ele.

Ainda segundo Roberto, Adriana queria que ele a ajudasse a conseguir algum cargo no governo, o que não aconteceu. Roberto disse ainda que irá processá-la por falsas acusações.

Com G1




Publicidade
Publicidade

Links patrocinados