Menu

Sete Lagoas > Notícias > Política

Assembleia de Minas libera pagamento de jetons a secretários de Zema

Os jetons pela participação em conselhos que podem aumentar os salários dos secretários do estado de Minas Gerais de R$ 10 mil para até R$ 35,4 mil foram liberados pela Assembleia Legislativa na manhã desta quinta-feira (18). Com várias críticas ao governador Romeu Zema (Novo),  os deputados mantiveram o veto do Executivo ao artigo que proibiria o pagamento por 33 votos a 14. Um deputado votou em branco.

Foto: Juliana Cipriani/Estado de MinasFoto: Juliana Cipriani/Estado de Minas

Para derrubar o veto de Zema eram necessários 39 votos.

O governador havia vetado nove dispositivos da reforma administrativa, entre os quais dois foram derrubados. Um acabaria com a destinação de 3% da verba de publicidade do governo para a Rede Minas e a Rádio Inconfidência. A outra cria três superintendências do meio ambiente (Supram) no estado.

O governo conseguiu liberar o pagamento de jetons em meio a críticas da oposição e de parlamentares dos blocos independentes. O líder da minoria, deputado Ulysses Gomes (PT), pediu destaque da votação do artigo que proibiu secretários de receber jeton e cobrou coerência do executivo e dos colegas. Ele reproduziu por quatro vezes em plenário o áudio em que o então candidato a governador Romeu Zema dizia que ele e os secretários de estado não receberiam salário. "A prática do governo é outra, é a política dos puxadinhos e das indicações políticas", disse.

O líder do bloco independente, deputado Sávio Souza Cruz (MDB), afirmou que votaria em branco na emenda do jetons e na que restringe os cargos comissionados e liberou a bancada para votar como quisesse. O emedebista apontou a mudança de posição de Zema, que disse sofrer de transtorno bipolar, como motivo de sua abstenção.

Por 37 votos a 11, deputados também mantiveram o veto de Zema a artigo que restringiria a contratação de comissionados no estado.

Com Estado de Minas

Links patrocinados