Menu

Coluna / Tempo Esportivo / Arenas brasileiras vão acionar a CBF na justiça

A reunião realizada na semana passada, no Rio de Janeiro, terminou com um duro golpe para algumas das principais arenas esportivas do País: A CBF, em acordo com a maioria dos clubes (14) da Série A do Campeonato Brasileiro, optou por proibir os times de mandarem jogos da primeira e segunda divisão do torneio fora de seus estados de origem.

Com isso, as arenas construídas para Copa do Mundo de 2014, mais precisamente, quatro delas, estão em apuros: Arena da Amazônia, em Manaus; Arena das Dunas, em Natal; Arena Pantanal, em Cuiabá; e Mané Garrincha, em Brasília.

Sem jogos de Atlético e Cruzeiro, a Arena do Jacaré nunca mais ficou lotada de torcedores / Foto: DivulgaçãoSem jogos de Atlético e Cruzeiro, a Arena do Jacaré nunca mais ficou lotada de torcedores / Foto: Divulgação

O movimento que pede a volta da concessão do uso dos estádios ganhou campanha nas redes sociais: Desde que foram reformadas ou construídas, as arenas que sediaram a Copa do Mundo receberam 47 partidas válidas pelo Campeonato Brasileiro. O lucro é de aproximadamente R$ 6 milhões, quantia atraente se considerar o fato de que nenhumas das praças contam com representantes na elite do futebol há, pelo menos, cinco anos.

A situação é preocupante, e os responsáveis pelos espaços estão longe de aceitar a nova medida. A Secretaria de Juventude, Esporte e Lazer do Amazonas (Sejel), que é responsável pela manutenção da Arena da Amazônia, está encabeçando um grupo de estádios ‘’abandonados’’ para reivindicar o planejamento da CBF e ir à justiça comum, se preciso for! A despesa anual da Arena da Amazônia, por exemplo, beira os R$ 6 milhões.

Das quatro sedes, quem mais sai perdendo, com certeza, é o Distrito Federal. O local abrigou, até o momento, 31 jogos, desde sua inauguração para receber a Copa. A renda, apenas com aluguel de campo, desconsiderando a taxa da Federação local, é de cerca de R$ 4,5 milhões.

Se um sai perdendo muito, há quem nem sinta tanta diferença. Esse é o caso da Arena das Dunas, em Natal. O estádio, que recebeu quatro jogos de Copa do Mundo, é o único privatizado, pela OAS Engenharia. Desde 2014, o local destaca-se por sediar diversos eventos culturais, como shows e outras cerimônias. Do Campeonato Brasileiro foram apenas dois jogos, em 2015 e 2016.

Enquanto o impasse não é solucionado, certamente, os próprios estados terão que arcar com as despesas operacionais mensais de cada arena.

Algo parecido, guardadas as devidas proporções, acontece em Sete Lagoas. A Arena do Jacaré é mantida pela Prefeitura Municipal, após um acordo assinado com o Governo do Estado, que era o mantenedor da praça esportiva.

O local foi sub sede da Copa do Mundo de 2014 e recebeu a seleção do Uruguai. Após o encerramento das obras de reformas do Mineirão e do Independência, a Arena do Jacaré passou a ter muitas dificuldades para atrair grandes públicos, pois Cruzeiro e Atlético optaram por não jogarem mais na cidade.

Em Sete Lagoas, ao contrário do que acontece com as arenas de algumas capitais, não há proibição para a realização de grandes jogos e eventos esportivos. Talvez aqui, o problema seja mais grave, pois o que falta é a vontade dos dirigentes dos clubes da capital de retornarem ao local que foi o berço do futebol mineiro entre 2010 e 2012.

Em 2017, o único grande evento realizado na Arena do Jacaré, até o momento, foi a final da Copa Eldorado de futebol amador, que contou com um público de, aproximadamente, 5 mil pessoas nas dependências do estádio.

Tempo Esportivo
Algumas notícias que andam circulando por aí no mundo do futebol nos deixam, realmente, de queixo caído! Vejam esta informação que saiu do mundo asiático: Recentemente assinado, o acordo entre Marcelo Moreno e o Wuhan Zall, da China, tornou o ex-centroavante do Cruzeiro um dos jogadores mais bem pagos da Ásia e, por conseguinte, do planeta!

Jogador Marcelo Moreno / Foto: Osports Jogador Marcelo Moreno / Foto: Osports

Os valores que o boliviano receberá pelo contrato firmado são os maiores da história da segunda divisão chinesa. Isso mesmo, ele disputará em 2017 o campeonato chinês da segunda divisão!  

Propriedade de uma holding ligada aos setores imobiliário e energético, o novo rico da divisão de acesso da China superou a concorrência de equipes da primeira divisão do país, como o ChangchunYatai e o Beijing Guoan, em um acordo formalizado no início de fevereiro.

Livre no mercado, já que seu acordo com o também chinês, Yatai havia expirado, Marcelo Moreno receberá aproximadamente R$ 2 milhões por mês, livre de impostos, para ser o principal jogador do Wuhan Zall. Na equipe anterior, Moreno recebia um terço desse valor. O acordo assinado é válido por duas temporadas da China.

Aos 29 anos, Marcelo Moreno foi um dos jogadores mais decisivos da última temporada da Superliga Chinesa. Além de anotar 13 gols e ficar em sexto lugar na artilharia, ele contribuiu com mais cinco assistências para o ChangchunYatai, que perdeu a disputa para renovar o contrato do boliviano.

Sem ele, adquiriu Marinho, ex-Vitória, e Ighalo, nigeriano ex-Watford.  Na nova equipe chinesa, Marcelo Moreno terá o italiano Ciro Ferrara como treinador. Ele tentará repetir o feito do também italiano Fabio Cannavaro, que em 2016 substituiu Vanderlei Luxemburgo e levou outro clube milionário, o Tianjin Quanjian, à primeira divisão da China.

São notícias que nos deixam sem ação e sem capacidade de tecer novos comentários. Em janeiro, o Cruzeiro tentou contratar Moreno e chegou a oferecer salários mensais de R$ 700 mil, ou seja, pouco mais de 30% do que ele irá receber na China em 2017 e 2018.

Fico me questionando o tempo todo sobre esses salários astronômicos que são pagos atualmente para jogadores comuns do nosso futebol, como Marcelo Moreno, por exemplo: Quanto ganhariam hoje craques como Pelé, Garrincha, Tostão, Reinaldo, Zico, Maradona, Puskas, Eusébio, Gullit, Johan Cruijff, Michel Platini, Franz Beckenbauer, Di Stéfano e tantos outros...
Saudosismo à parte, são coisas inacreditavelmente estarrecedoras!

Elenco precisa ratificar alto valor financeiro com futebol competitivo 

O Atlético ainda não estreou na Libertadores da América, mas saiu na frente dos demais brasileiros e de todos os concorrentes na tabela que define os times mais valiosos da competição.

Segundo o site Transfermarkt, o elenco do Galo está avaliado em R$ 247,3 milhões. Outros seis brasileiros aparecem no top 10, dois deles no pódio: O Palmeiras é o segundo, seguido pelo Grêmio. O River Plate, na quarta posição, aparece como "intruso" entre os brasileiros do top 5. Os três primeiros são os únicos a bater a casa dos 200 milhões.

O Verdão é avaliado em R$ 224 milhões, enquanto o Tricolor gaúcho tem o elenco cotado em R$ 202 milhões. No top 10 ainda aparecem três brasileiros - Flamengo, em quinto (R$ 189,9 milhões); Santos, em sexto (R$ 162,1milhões) e Botafogo, em nono (R$ 100,7 milhões).

Não resta a menor dúvida de que há um "abismo" entre o investimento e o que tem sido mostrado pelos brasileiros em campo. De fato, em termos de gasto, o Brasil deita e rola no ranking. Falta deitar e rolar em campo! Dos 10 mais valiosos, têm sete clubes brasileiros e três argentinos. Na prática, essa discrepância de investimento não tem feito a diferença que se espera dos clubes brasileiros.

No caso específico do Atlético, pelo terceiro ano seguido a diretoria fez altos investimentos, manteve jogadores importantes, trouxe atletas cobiçados por vários clubes de ponta do Brasil e até do exterior, mas dentro de campo nenhum resultado positivo tem sido registrado.

Em 2016, por exemplo, o clube não ganhou nenhum título, perdeu as finais do Campeonato Mineiro e da Copa do Brasil e como “prêmio de consolação”, garantiu tão somente uma vaga para a disputa da Copa Libertadores da América deste ano!

A relação completa dos dez elencos mais caros do continente é a seguinte:
1º Atlético: R$ 247,3 milhões
2º Palmeiras: R$ 224,8 milhões
3º Grêmio: R$ 202,4 milhões
4º River Plate: R$ 192,4 milhões
5º Flamengo: R$ 189,9 milhões
6º Santos: R$ 162,1 milhões
7º Atlético-PR: R$ 123,2 milhões
8º San Lorenzo: R$ 105,7 milhões
9º Botafogo: R$ 100,7 milhões
10º Estudiantes La Plata: R$ 81,1 milhões 

Copa Embrapa terá sequência no final de semana 
O período de carnaval foi de descanso para os atletas e pausa para os clubes que participam da Copa Embrapa de Futebol Máster. A terceira rodada da primeira fase foi realizada no último final de semana antes do carnaval. As partidas, como de costume, foram realizadas no sábado à tarde e no domingo pela manhã.

Foto: LED's Foto: LED's

Todos os jogos estão acontecendo na Associação dos Empregados da Embrapa, próximo à chegada em Prudente de Morais e o público tem acesso liberado através da portaria da estrada das Areias, na região do Tamanduá.

Após três rodadas, os principais destaques ficam por conta do representante de Cordisburgo, o Santa Rita e do time que nasceu da parceria entre o Uberlândia, do bairro Interlagos e o Ideal: Ambas as equipes lideram seus respectivos grupos, com três vitórias e 100% de aproveitamento dos pontos disputados.

A Copa Embrapa, que abrange equipes de Sete Lagoas e das cidades adjacentes é a primeira competição do calendário da Liga Eclética Sete-Lagoanaem 2017. Os participantes são: 

A.E.Embrapa,
Bosque F.C.,
Criciúma F.C.,
Santa Cruz F.C.,
Santa Rita F.C. (Cordisburgo),
Sete Lagoas Fortaleza
Sete de Setembro (Caetanópolis),
Uberlândia/Ideal F.C.,
União Expresso F.C.;
Veteranos de Prudente F.C. (Prudente de Morais).

As equipes foram divididas em dois grupos de 05, jogando entre si nas chaves. Os melhores classificados avançam para a disputa das Taças de Prata e Ouro.

Os resultados da terceira rodada foram os seguintes:
Veteranos de Prudente de Morais 00 x 05 Uberlândia / Ideal
Santa Rita de Cordisburgo 05 x 03 Sete de Setembro de Caetanópolis
Bosque 05 x 02 Sete Lagoas / Fortaleza
Criciúma 03 x 00 Santa Cruz

A classificação atualizada, após a realização da terceira rodada ficou assim:
Grupo A:
1º Santa Rita de Cordisburgo: 09 pontos
2º Bosque: 06 pontos
3º Embrapa: 03 pontos
4º Sete Lagoas / Fortaleza e Sete de Setembro de Caetanópolis: 00 ponto
Grupo B:
1º Uberlândia / Ideal: 09 pontos
2º Veteranos de Prudente de Morais, Criciúma e União Expresso: 03 pontos
5º Santa Cruz: 00 ponto
Os confrontos da quarta rodadasão os seguintes:
Sábado, dia 04 de março:
14:00 – União Expresso x Criciúma
16:00 – Santa Cruz x Veteranos de Prudente de Morais
Domingo, dia 05 de março:
08:30 – Embrapa x Santa Rita de Cordisburgo
10:30 – Sete de Setembro de Caetanópolis x Sete Lagoas / Fortaleza
Folgam na quarta rodada: Bosque e Uberlândia / Ideal





Álvaro Vilaça é formado em Comunicação Social e Marketing, apresentador de TV, narrador e repórter esportivo da Rádio Inconfidência de Belo Horizonte, Diretor de Programação e Coordenador de Esportes da Rádio Eldorado e do Jornal Hoje Cidade. Também é o responsável pela coluna de Esportes do Jornal Notícia e é professor de Negociação, Compras e Marketing das Faculdades Promove de Sete Lagoas. Pós-Graduado em Administração e Marketing

 



Publicidade
Publicidade

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar