Menu

Coluna / Tempo Esportivo / Campeonato Regional registra alta média de gols na abertura das quartas de final

Primeiro Tempo

Foi uma entrevista que impressionou pela sinceridade e pelo tom com palavras fortes, que ganharam muita repercussão durante a semana. O técnico Adilson Batista não gostou do futebol praticado pelo América, após o empate sem gols dos seus comandados com o Ceará, pelo Campeonato Brasileiro. Visivelmente irritado com a atuação abaixo da média de sua equipe, o treinador concedeu uma entrevista após a partida e reclamou bastante do calendário do futebol brasileiro, do nível técnico das equipes e da falta de mudança por parte dos dirigentes. Sobre os dirigentes, inclusive, Adílson afirmou que eles não passam de um reflexo da sociedade brasileira no momento.

O trecho mais forte do “desabafo” do treinador se deu quando ele afirmou que o país está cheio de ladrões: “Não adianta nós ficarmos reclamando, nós treinadores e atletas, para apresentar um jogo de bom nível. Dava para ter colocado às 17h, você ameniza, dá para tirar as 20 datas do Estadual, que não vale nada, não leva a lugar nenhum, não joga contra ninguém. Só por causa da Federação, recebe R$ 100 mil e ficam esses campeonatos estaduais. Aí fica esse futebol que vocês estão vendo: lento, preguiçoso, e eu mostrei para eles. Eu vi Brasil e Estados Unidos, você vê futebol de alto nível, jogadores tops, todos fazem andar rápido. É muita velocidade, muita intensidade. Ninguém fica penteando a bola. Aí você tem que viajar para Uberaba, Uberlândia, tem que ir lá para Ituiutaba, aí vai chegar aqui, meio de agosto e setembro, está cansado. Mas quem comanda o futebol não enxerga isso. Não adianta eu ficar falando, outros treinadores já falaram. Tem 44 finais de semana, tem 88 datas, quarta e domingo para fazer decentemente um Campeonato Brasileiro. Mas não querem. É político, é um reflexo do que estamos vendo aí, só tem ladrão neste país”, disse o treinador.

Apesar do empate em casa diante do Ceará, o América segue na 10ª posição do Campeonato Brasileiro, com 30 pontos. O próximo compromisso do Coelho será diante do Botafogo, neste domingo, no Rio de Janeiro. A CBF confirmou que a partida vai começar no famigerado horário das 11 horas da manhã, no Engenhão. A previsão é de que, neste horário, a temperatura esteja acima dos 35° na capital Fluminense. Alguma dúvida de que Adílson Batista vai soltar os cachorros novamente?

Segundo Tempo

A solução doméstica tinha, como meta principal, num primeiro momento, reduzir a folha de pagamento do clube e dar tempo à diretoria para buscar um nome de peso no mercado para a sequência da temporada, mas, dentro daquelas situações difíceis de serem explicadas no mundo do futebol, Thiago Larghi foi ganhando corpo, prestígio junto aos atletas, diretoria e torcedores e acabou sendo efetivado como treinador do Atlético.

Diante do Atlético-PR, na última segunda-feira, o jovem comandante completou 44 partidas como treinador do Atlético. O número não chega a impressionar, mas é significativo na última década do clube alvinegro em termos de longevidade de seus treinadores.

Com a marca, Thiago Larghi superou mais uma das grandes apostas do clube e que não conseguiu emplacar: Roger Machado (43 jogos pelo Atlético e que deixou o clube em julho de 2017). Agora, Larghi só fica atrás, em número de partidas pelo Atlético na década, de grandes campeões do clube nesse período. Cuca, o comandante da Taça Libertadores de 2013, ficou no cargo por 153 jogos, entre 2011 e 2013. Levir Culpi, que ganhou a Recopa Sul-Americana e a Copa do Brasil em 2014, foi técnico do Galo em 113 partidas na década.

Mais pela necessidade do que por causa de um projeto, teoricamente ousado, Thiago Larghi teve a oportunidade que poucos alcançam no conturbado e imprevisível mercado do futebol brasileiro. Se a política do bom e barato vai funcionar e trazer resultados efetivos para o clube, só o tempo irá dizer, mas, do ponto de vista econômico, a permanência de Larghi por mais de sete meses já é um “case de sucesso” na história recente do Atlético!

Campeonato Regional registra alta média de gols na abertura das quartas de final

A fase eliminatória do Campeonato Regional Amador começou no último final de semana com vários jogos equilibrados, uma partida com resultado elástico, muitos gols e ótima presença de público nos estádios da região. Em quatro jogos foram anotados 14 gols, o que propiciou uma média de 3,5 gols por partida.

O campeão de 2017, Ideal, foi a Ibitira e conquistou um importante resultado, ao empatar por 2 x 2 com o Kosmus. No jogo de volta, uma vitória simples classifica o Galo da Gamela para a fase semifinal. Novo empate leva a decisão da vaga para os pênaltis.

Os demais resultados foram os seguintes:

Paraopeba 1 x 1 CAP de Pompeu – Em Paraopeba
Vargem Grande 6 x 1 Lagoinha de Funilândia – Em Vargem Grande
América Prudentino 1 x 0 Cristalino de Pompeu – Em Prudente de Morais

O saldo de gols é critério classificatório no regulamento do Campeonato Regional, por isso, no caso do Vargem Grande, por exemplo, até uma derrota por 04 gols de diferença em Funilândia, no próximo final de semana, ainda garante a equipe na fase semifinal. Por sinal, o Vargem Grande tem o melhor ataque da competição, uma vez que, na fase de grupos, já havia construído outra goleada, batendo o Abadia de Martinho Campo por 5 x 1. O time da região de Papagaios já marcou 16 gols no Campeonato.

Os jogos de volta das quartas-de-final já têm datas, horários e locais definidos:

Sábado, 15 de setembro:
15:00 – Ideal x Kosmus de Ibitira – Em Sete Lagoas (Estádio Emílio de Vasconcelos Costa)
15:00 – Cristalino x América Prudentino – Em Pompeu
15:00 – Lagoinha x Vargem Grande – Em Funilândia

O Kosmus deu muito trabalho para o Ideal no jogo de ida das quartas de final do Regional em Ibitira / Foto: Divulgação

Domingo, 16 de setembro:
10:00 – CAP x Paraopeba – Em Pompeu

O Paraopeba decide seu futuro no Campeonato Regional diante do CAP, no próximo domingo em Pompéu / Foto: Divulgação

Com 27 escolas e quase 500 alunos participantes, Jesel 2018 foi finalizado na semana passada

Terminou, na semana passada, a edição 2018 dos Jogos Estudantis de Sete Lagoas (Jesel). Na ocasião, com boa presença de público no Ginásio Poliesportivo Unifemm, foram disputadas as partidas decisivas do futsal, modalidade mais tradicional dos Jogos e que sempre atraiu um grande número de atletas e torcedores.

O Jesel faz parte do calendário esportivo e sua realização foi transformada em lei municipal. Dentre os principais objetivos dos Jogos Estudantis, estão a contribuição para o aumento da participação da juventude estudantil Sete-lagoana em atividades desportivas, promovendo a integração social, o exercício da cidadania e a descoberta de novos talentos.

O Jesel 2018 aconteceu de forma fracionada, algo inédito na história dos Jogos. A primeira etapa foi realizada em maio com as modalidades de peteca, tênis de mesa e vôlei de praia. Já a segunda, disputada em junho, contou com a participação dos adeptos de atletismo e xadrez.

Por fim, ao longo do mês de agosto, ocorreram as competições de handebol e futsal.

O Prefeito Leone Maciel parabenizou a todos pela realização de mais um Jesel: “Fechamos com chave de ouro a edição deste ano do Jesel. A presença de quase 500 jovens neste projeto foi a prova de que estamos no caminho certo e de que, a cada ano, vamos aumentar o número de adeptos do Jesel. Este Governo apoia de forma irrestrita os projetos voltados para o esporte, a escola e a formação do cidadão”.

Cerca de 27 escolas municipais, estaduais e particulares estiveram presentes nas diversas modalidades esportivas disputadas nesta edição. Ao todo, cerca de 500 alunos participaram dos Jogos Estudantis.

A equipe campeã geral do atletismo, envolvendo todos os gêneros e módulos foi a Escola Estadual Satyro Alvim. Já a campeã geral, levando-se em conta todas as modalidades e categorias foi a Escola Estadual Professor Rousset.

Álvaro Vilaça é formado em Comunicação Social e Marketing, apresentador de TV, ex-narrador e ex-repórter esportivo da Rádio Inconfidência de Belo Horizonte, Diretor de Programação e Coordenador de Esportes da Rádio Eldorado e do Jornal Hoje Cidade. Também é o responsável pela coluna de Esportes do Jornal Notícia e é professor de Negociação, Compras e Marketing das Faculdades Promove de Sete Lagoas. Pós-Graduado em Administração e Marketing.




Publicidade
Publicidade

Links patrocinados