Menu

Coluna / Novas Tecnologias / 7 tendências de Marketing Digital para 2016

O objetivo desse artigo não é fazer um exercício de futurologia, tampouco reinventar a roda mencionando alguma novidade que você já não tenha visto no ano passado. Afinal, uma tendência nada mais é do que algo que já está sendo feito mas que seu uso vem apontando um crescimento recente e contínuo.

A lista não termina neste artigo, já que é praticamente impossível abordar todas as ferramentas, tecnologias e estratégias que têm gerado alguma relevância nos dias de hoje.

1. Links/Posts Patrocinados

Esse já não é novidade pra ninguém. Com a redução cada vez maior dos alcances orgânicos nas redes sociais - inclusive no Twitter e no Instagram - é praticamente impossível alcançar uma boa audiência sem impulsionar. E mesmo os impulsionamentos estão cada vez atingindo menos pessoas ficando, assim, mais caros. A estratégia, nesse caso, é a frequência, os filtros de público-alvo e a qualidade do post. O que nos leva à segunda tendência.

2. Marketing de Conteúdo

Outra tendência não tão nova assim. Mas a lógica é simples: cada vez mais gente postando, cada vez mais marcas impulsionando e o resultado é cada vez mais lixo na nossas timelines. Nesse caso, conteúdos que mais interessam à sua audiência - não necessariamente conteúdos que você considera de qualidade - terão mais chances de viralizar. Minhas últimas experiências com postagens têm mostrado que é, até certo ponto, uma loteria saber qual post vai bombar e qual não vai. Às vezes uma frivulidade, uma foto bem tirada de um ângulo inusitado ou uma frase de efeito conseguem uma viralização que muitas vezes um conteúdo sério e bem trabalhado não alcançam. A tática aqui é ir testando os conteúdos que melhor aderem ao perfil do seu público. Deu certo? Faça mais coisas desse tipo. Deu errado? Desista desse tipo de conteúdo ou tente adaptá-lo em um próximo post. Já pensou em usar vídeos? É mais simples do que você pensa. Próxima tendência...

3. Streaming de Vídeos

Foi-se o tempo em que eram necessários recursos, conhecimento e equipamentos avançados para se produzir um vídeo. Cada vez mais o conteúdo em si é mais importante do que a qualidade do áudio ou da imagem. Se você vende um produto ou serviço, não precisa produzir um anúncio profissional. Com um celular na mão e um bom roteiro, seu vídeo pode ter muito mais acessos do que um vídeo de qualidade técnica superior. O sucesso do streaming (transmissão simultânea) mostra isso. Há ferramentas específicas como Snapchat (vídeos curtos) ou Periscope e Google Talks (transmissão ao vivo). O negócio é experimentar, já que temos que ser cada vez mais próximos do nosso público, cada vez mais... humanos. Próximo!

4. Humanização das marcas

A onda da "zueirização" das marcas, à exemplo do que faz a "Prefs de Curitiba", já passou. Zueira pela zueira não passa credibilidade. É preciso, então, contextualizar. Associar um fato do momento à sua marca. Redes sociais não são só mídia (eu publico, os outros vêem). Elas são, acima de tudo, sociais, feitas de pessoas que estão ali para se relacionar. Portanto, sua marca deve dialogar com esse público. Responda, tire dúvidas, indique, sugira, enfim, os posts devem ser mais coloquiais, tipo "olha que legal, tenho uma coisa que acho que pode te agradar". A letra é morta. Muitas vezes lemos um texto mal humorado ou sem ter o aspecto "linguagem corporal" para perceber as reais intenções do que estamos lendo. Nesse caso, os emojis (emoticons) são bem vindos.

A melhor forma de humanização da marca é aproximar do seu público-alvo, tire um tempo para respondê-lo / Foto: bemparana.comA melhor forma de humanização da marca é aproximar do seu público-alvo, tire um tempo para respondê-lo / Foto: bemparana.com

5. Pulverização da audiência

Com tantos aplicativos e redes sociais surgindo a todo momento e com as pessoas se "trancando" em timelines cada vez mais segmentadas, é importante perceber que muito provavelmente você não tem um perfil de público, mas sim vários perfis, cada qual podendo se interessar pelo seu conteúdo em um determinado período ou fase da vida. O seu produto ou serviço pode não ser útil para mim agora, mas pode ser depois, ou pode ser para alguém que eu conheça. Saiba identificar esses momentos dos seus públicos para atingi-los na hora e nos lugares certos. Semana passada, por exemplo, descobri um aplicativo de diárias particulares para pets, tipo um "AirBnB" para animais de estimação. Em uma rápida busca encontrei pelo menos 20 pessoas de Sete Lagoas cadastradas oferecendo estadia. Concorrência para as pet shops. São as novas tecnologias gerando disrupções nos mais diferentes mercados.

6. Tete-à-Tete

Tenha um contato direcionado, pessoal, personalizado com sua audiência. Quantas vezes fomos mal tratados em um local e, ao comentar com alguém, a pessoa disse "nossa, nunca aconteceu comigo"? Pois é. Trate cada seguidor da sua marca nas redes sociais como único. Quem é bem tratado espalha para 10. Quem é mal tratado espalha para 100, que espalham para 1000. A comunicação pessoal hoje é tão mais fácil por meio das mais diversas ferramentas e não custa nada responder em tempo hábil seja por e-mail, SMS, WhatsApp, Messenger, etc. Dedique um tempo pra isso. Não será em vão, pois vai fidelizar seu público.

7. Mensuração

Diferentemente das demais mídias, o digital é 100% mensurável. Aproveite este diferencial e confira sempre seus acessos, interações, ROI e as demais medidas de valor que mais interessam ao seu negócio. Aproveite o big data fornecido pelas principais ferramentas de Analytics e gere insights para novos conteúdos que possam gerar mais valor para o seu negócio.

E aí? Gostou? Tem mais alguma sugestão de tendência para 2016? Fique à vontade nos comentários.



Marcelo Sander - @mbsander
Jornalista, especialista em Marketing Político, Gestão de Projetos Culturais e Web Jornalismo. Palestrante e professor de Novas Tecnologias, Marketing Digital, Comunicação Empresarial e Mercado Profissional nas Faculdades Promove. Gerente de Gestão Estratégica e de Resultados da Secretaria Municipal de Orçamento, Planejamento e Tecnologia de Sete Lagoas. Editor do blog www.mercadowebminas.com.br. Com passagens por agências digitais em Belo Horizonte, Governo de Minas, Prefeitura de Sete Lagoas e Câmara Municipal, trabalha com conteúdo web desde 2001.





Links patrocinados