Menu

Coluna / Michael Andrade / + Tecnologia / O profissional de TI do século 21

A transformação que a TI realiza nas empresas no século 21 vai muito além de ter um site ou um app do empreendimento. A fase que a TI proporcionava um produto está acabando, hoje vai muito além disso. Antes profissionais de TI ajustava uma solução a um problema. Uma organização tinha a TI como uma empresa terceira, que sempre tinha uma solução para o seu probleminha corriqueiro, ou, o profissional, estava ali, pronto para configurar um pc novo para os colaboradores. Ou até mesmo uma fazendo uma “mágica” para um item que precisava de uma modificação ou alteração e com um clique tudo ser resolveria. Não mais, pelo menos não somente isso.

Hoje vejo que as empresas de TI não proporcionam soluções a problemas e sim serviços. Serviços vão além de venda de produtos. Serviços garantem que as metas e lucros são alcançados pelos contratantes. A “velha TI” não iria além de um recurso programático para solucionar problemas e não faziam parte da tomada de decisão junto ao negócio. O profissional era programado a apagar incêndios e solucionar erros que não era tratado e muitos menos estudados para evitar que aquele erro não ocorresse mais. Este é um modelo que funcionou até determinado tempo. Mas porque trocar um modelo que funcionava tão bem? Simples, resultados. Os resultados obtidos não possibilitavam a empresa a alcançar suas metas de forma mais objetivas e digo mais, esse modelo de trabalho não visa a melhoria continua, ou garantia que o negócio sempre tivesse a melhor opção na tomada de decisão.

Foto: medium.com/@allancarlosFoto: medium.com/@allancarlos

Analistas de TI tem como objetivos garantir a melhor forma de um colaborador atingir seus objetivos com o auxílio computacional. Seja ele com um software de big data, uma rede com alta velocidade de tráfego de dados, computadores de última geração ou relatórios capazes de garantir que uma escolha seja a correta para um determinado cenário. Antigamente pelo fato de alguém ter uma facilidade de trabalhar com eletrônicos, logo você ganhava sua vaga e já poderia trabalhar no setor de TI da empresa em questão. Não desmereço aqui os profissionais que não tem graduação e a anos trabalham na área. Defendo a formalização e reconhecimento dos profissionais. A faculdade de TI proporciona melhores visões. A graduação constrói um profissional completo, que possui ética com o tratamento de dados da empresa e seus ativos. Garante responsabilidade e dedicação. Um Advogado hoje não realiza seu trabalho se não passar por anos de formação, um médico não realiza operações se não dedicar parte da sua vida estudando sobre o assunto. Não seria diferente com a tecnologia da informação. Hoje o maior ativo da uma corporação são os seus dados e vejo que para trabalhar com eles deveriam ser profissionais capacitados e regulamentados. Uma pena a categoria ainda não ter um órgão que fiscaliza e regulamenta os profissionais afim de proporcionar uma maior valorização do cargo de TI.

Portanto o “garoto da informática”, bem provável que seja assim que você chame aquele profissional que sempre te socorre quando precisa de algum relatório ou informação dentro do sistema, é responsável pela transformação que as empresas sofrem no século 21. O verdadeiro profissional de TI pensa além, enxerga o futuro e sempre está na vanguarda. Antenado e pronto para solucionar e proporcionar resultados. As empresas que hoje enxergão a TI como um departamento de auxilio nas tomadas de decisão saem na frente e garante um resultado melhor nas disputas no mercado financeiro.

Dia 19 de outubro: Dia do profissional de TI! Parabéns para o menino da informática ! \o/



Casado, profissional de TI, fundador do canal [LORD]MJ no Youtube. Trabalha na área de TI deste 2002. Formado em Sistemas de Informação. Amante de Tecnologia. Gosta de jogos eletrônicos e dedica algum tempo livre a Steam ao som de um bom Rock and Roll. Atleta de fim de semana nunca dispensa um futebol com os amigos. Adora seus animais de estimação. Trabalhou por 5 anos na Stefanini Solutions e hoje faz parte da equipe da Brennand Cimentos em Sete Lagoas.