Menu

Filmes para entender a depressão / Coluna / Vanessa Stehling / Cultura Pop

Olá, queridos leitores! Listarei alguns filmes dedicado a um bem maior: a depressão.

Estamos no mês do combate ao suicídio, o Setembro Amarelo, e uma das principais causas dessa ocorrência, segundo pesquisas, é a dita cuja da depressão. Um mal silencioso que pode invadir seu corpinho sem avisar. Portanto, procure um profissional da saúde quando perceber os sintomas. PELAMOORDEDEUS!

As dicas aqui fazem você refletir sobre a danada que nem vou lembrar mais o nome para não chamar, né?

FOI APENAS UM SONHO

Cena do filme "Foi apenas um sonho" — Foto: ReproduçãoCena do filme "Foi apenas um sonho" — Foto: Reprodução

Novamente atuando juntos, os atores Leonardo diCaprio e Kate Winslet, 11 anos depois de Titanic, interpretam um casal dos anos 50 que se amam muito, ficam juntos e são vistos como uma família ideal, "perfeita". Apesar da conquista deste "padrão de vida e felicidade" eles não estão nada felizes. Especialmente, a April (Kate Winslet), que está sofrendo depressão. Não é dito isso no filme, mas é claramente visto. E, se a gente pensar que hoje em dia temos dificuldade de identificar essa doença, imagina 60 anos atrás.

O filme mostra os questionamentos e incertezas que muitas pessoas passam na vida adulta e a desilusão que nos vemos presos a certos papeis sociais e percebemos que não é aquilo que vai fazer com que a gente seja feliz e realizado.

ANOMALISA

Uma animação para adultos que foi feito pelo Charlie Kaufman o mesmo de um Brilho Eterno de uma Mente sem Lembranças e claro, o filme concorreu ao Oscar de melhor animação. A história acompanha um palestrante motivacional que tem livros publicados, dá palestras, e oriente como os profissionais precisam tratar bem os clientes, visando a melhoria da produtividade. O personagem principal, Michael Stone, é depressivo e na vida real ele não se mostra como é em seu trabalho, como tratar mal os clientes, justo o contrário do que ele fala. isso muda quando ele conhece a personagem Lisa, que representa uma mudança trágica na forma que ele interpreta as coisas. O visual e estética do filme são únicos, parece que até que os personagens usam máscaras, o que conduz uma proximidade da nossa realidade.

SE ENLOUQUECER, NÃO SE APAIXONE

Este trata mais leve a questão da depressão, mistura o drama com a comédia, e funciona! Craig (Keir Gilchrist), estressado com as demandas de ser um adolescente e assustado com sua tendência suicida, decide buscar ajuda em uma clínica psiquiátrica. A depressão do garoto é mostrada de uma forma interessante, ele não tem um grande trauma que desenvolve o mal, mas existe pressão internas e que as pessoas dão, sobre ser uma pessoa realizada na vida, por exemplo. Craig tem que fazer escolhas para definir a vida dele, um tipo de realidade que encontramos nas pessoas mais jovens. Internado por uma semana, ele logo é acolhido por Bobby (Zach Galifianakis), que se torna seu mentor, e se encanta com Noelle (Emma Roberts). Vale a pena assistir.

Mas Vanessa, todos os filmes ditos estão na Netflix? Nem todos, mas hoje temos o santo padroeiro dos filmes impossíveis: Santíssimo Google. Basta digitar o nome do filme, que milagrosamente, aparece algum site transmissor dessa benevolência. Eu ouvi um Amém?

Beijos de luz, abraços apertados e bebam água filtradinha.

Graduada em Publicidade e Propaganda, pós-graduada em Rádio e TV. Ilustradora, designer, metida a sinuqueira e telespectadora assídua de séries e filmes em alta velocidade.





Links patrocinados