Menu

Sete Lagoas > Notícias > Brasil

Fenômeno natural: tempestade de areia atinge cidades do interior de MG e SP

  • Categoria: Brasil

Moradores do interior de Minas Gerais e de São Paulo foram surpreendidos na tarde deste domingo (26) por ventos fortes que causaram tempestades de areia fortíssimas. As imagens assustadoras que registraram o fenômeno circulam nas redes sociais e mostra, inclusive, nuvens de poeira encobrindo prédios e escurecendo o céu de cidades como Franca e Ribeirão Preto, no interior paulista.

Tempestade de areia em Franca/SP/Foto: Reprodução Internet Tempestade de areia em Franca/SP/Foto: Reprodução Internet

Segundo o meteorologista Ruibran dos Reis, esse tipo de tempestade acontece, principalmente, pela combinação da falta de chuva e da onda de calor na primavera. “Essas altas temperaturas acabam gerando uma variação muito grande de um lugar para outro, o que faz com que aconteçam esses ventos fortíssimos, causando essas tempestades de areia”, explica.

Ele pontua que, embora as imagens sejam impressionantes, o fenômeno é comum e deve acontecer outras vezes, inclusive em Minas Gerais. A tendência é que as tempestades de areia se repitam até que as chuvas comecem a cair com mais frequência.

“Até sexta-feira, a probabilidade de que isso aconteça em Minas é muito grande”, afirma. De acordo com o meteorologista, a previsão é de que as chuvas caiam com mais intensidade a partir do próximo sábado (2).

“De dar medo”

A estudante mineira Isabella Santana, que vive em Ribeirão Preto, estava voltando do shopping quando presenciou o fenômeno. Em conversa com a reportagem de O TEMPO, ela contou que a tempestade teve início por volta das 15h30 na cidade e que, antes de começar, o céu já estava escurecido.

“Parecia que já estava ficando de noite e eu mal conseguia abrir os olhos por causa do vento que levava muita poeira. Quando entrei no carro, vi uma nuvem vermelha de dar medo. No caminho para casa, vi o vento levantar poeira, folhas do chão e até uma placa em cima de um carro”, diz.

Já na porta de casa, a estudante contou que não conseguiu sair do automóvel por causa da força da ventania. “A direção do vento não me deixava abrir a porta. Fiquei uns minutos esperando e deu para ver as palmeiras na entrada do prédio se mexendo muito, a placa de vidro com o nome do condomínio parecia que iria se soltar. A gente sentia o carro chacoalhar também”, conta.

Quando a ventania amenizou, ela conseguiu sair do carro e ir para casa. “Foi tudo muito de repente, pegou quem estava na rua totalmente desprevinido”, lembra.

Ela conta ainda que, após o episódio, a chuva começou a cair na cidade com mais intensidade.

Da Redação com OTempo

Links patrocinados