Menu

Auxílio de R$ 300 tem novo lote de pagamentos nesta sexta-feira; veja quem recebe

O Governo Federal liberou o novo calendário de pagamento do auxílio emergencial de R$ 300. Mães chefes de família recebem R$ 600 por parcela.

O cronograma foi iniciado ontem, 17 de setembro, com o pagamento sendo feito para os beneficiários do Bolsa Família. O cronograma desse grupo segue o do programa federal, divulgado no início de 2020.

Foto: ReproduçãoFoto: Reprodução

Assim como nos calendários anteriores para beneficiários do Bolsa Família, o pagamento segue de acordo com o último dígito do Número de Identificação Social (NIS). Nesta sexta-feira, 18 de setembro, a liberação ocorre para quem tem NIS terminado em 2.

O auxílio emergencial e o Bolsa Família não são benefícios cumulativos. Ou seja, o beneficiário dos dois recebe apenas o que tem pagamento maior. Até agora, foi divulgada apenas a data de pagamento para esse grupo. Os beneficiários que fizeram cadastro pelo site ou pelo app ou inscritos no Cadastro Único (CadÚnico) ainda não tiveram os detalhes do calendário divulgados.

O pagamento é de R$ 300 – ou de R$ 600, para mães chefes de família.

Veja abaixo o calendário completo da sexta parcela de pagamento do auxílio emergencial para beneficiários do Bolsa Família:

17 de setembro: NIS de final 1
18 de setembro: NIS de final 2
21 de setembro: NIS de final 3
22 de setembro: NIS de final 4
23 de setembro: NIS de final 5
24 de setembro: NIS de final 6
25 de setembro: NIS de final 7
28 de setembro: NIS de final 8
29 de setembro: NIS de final 9
30 de setembro: NIS de final 0

Auxílio prorrogado até dezembro

O presidente Jair Bolsonaro anunciou a prorrogação do auxílio emergencial por quatro meses no valor de R$ 300. A extensão do auxílio foi oficializada por meio de medida provisória e terá que ser aprovada por deputados e senadores no Congresso Nacional.

“Não é um valor o suficiente muitas vezes para todas as necessidades, mas basicamente atende. O valor definido agora há pouco é um pouco superior a 50% do valor do Bolsa Família. Então, decidimos aqui, até atendendo a economia em cima da responsabilidade fiscal, fixá-lo em R$ 300”, disse Bolsonaro.

Neste ano, o Executivo depositou cinco parcelas de R$ 600 para os beneficiários do auxílio, visando ajudar os brasileiros de baixa renda, trabalhadores informais, MEIs, autônomos e desempregados.

O presidente Jair Bolsonaro já havia informado sobre a redução do valor do benefício e argumenta que, se o valo pode parecer pouco para os brasileiros afetados pela pandemia, “é muito para quem paga, no caso, o Brasil”.

De acordo com cálculos feitos pela equipe econômica, o custo mensal do benefício foi de R$ 50 bilhões por mês durante a primeira fase do programa.

Da Redação com NC




Publicidade
Publicidade

Links patrocinados