Menu

Passeata pela paz comove e chama atenção das autoridades para a violência na cidade

Com roupas brancas, bandeiras, faixas e cartazes com mensagem de paz, além de muita vontade de ter uma cidade menos violenta cerca de 750 alunos, segundo os coordenadores, de 11 escolas da cidade participaram de uma caminhada pela paz. O movimento em homenagem ao professor Renato Gomes, morto na última sexta-feira, 29, (relembre AQUI) foi deflagrado pelos alunos da 3° série do ensino médio do colégio Dom Silvério e ganhou força após ser replicado nas redes sociais.

Alunos pediram paz pelas ruas centrais da cidade / Foto: Marcelo PaivaAlunos pediram paz pelas ruas centrais da cidade / Foto: Marcelo Paiva

Os professores da escola compraram a ideia dos alunos e organizaram a manifestação que aconteceu na manhã desta sexta-feira, 5. A coordenadora pedagógica do Dom Silvério, Mírian Fátima Figueiredo Silva afirma que o movimento vai além de homenagear o professor Renato. “O que eles (os alunos) estão propondo não é só uma homenagem ao Renato, mas sim um basta a toda violência em Sete Lagoas. A cidade é a terceira mais violenta do Estado, e isso é uma realidade recente. Há 10 anos tínhamos um pequeno índice de violência e em pouco tempo se tornou alarmante”, ponderou.

Sabedora que a educação é uma grande ferramenta de transformação a coordenadora afirma ainda que a passeata será o início de grandes reflexões e discussões. “Isso aqui (a passeata) é apenas um ponto de reflexão e de partida para que possamos refletir com nossos alunos e cobrar do poder público. A gente sabe que o poder público sozinho não consegue. Então com a sociedade se mobilizando acho que é por onde temos que começar”, finaliza.

Aproximadamente 700 alunos participaram do protesto / Foto: Marcelo PaivaAproximadamente 700 alunos participaram do protesto / Foto: Marcelo Paiva

Depois de sair da praça Tiradentes a passeata desceu a rua Cônego Raimundo e fez um abraço na praça Barão do Rio Branco em frente à prefeitura. No local o padre Wilson, que acompanhou os jovens, disse palavras de conforto e rezou o Pai Nosso.

A professora Elaine Moreira, que trabalhou com Renato, visivelmente emocionada, disse que “vemos a criminalidade aumentando e não vemos melhorias. Nossos jovens saem de casa à noite e não sabemos se voltarão. Precisamos de mais ações para conter esses crimes”. Aluno do colégio Dom Silvério, Tiago Alves concorda que a passeata tem um caráter mais significativo do que a homenagem ao ex-professor. “Isso não é só pelo professor Renato, mas para um basta mesmo na violência. A iniciativa é muito válida”, analisou.

Após passar pela praça da prefeitura a passeata ganhou a Monsenhor Messias, chegou até a orla da Lagoa Paulino e foi encerrada na praça Dom Carlos Carmelo Mota. A Polícia Militar apoiou a caminhada e mobilizou agentes para controlar o trânsito. Participaram da manifestação as escolas Cenecista, Dom Silvério, Caetano, Regina Pacis, Sesi, Sinhá Andrade, Dr. Avelar, Laís Farnetti, a escola Arthur Bernardes, Guimarães Rosa e Alice Maciel. 

Clique na miniatura para ampliar a foto:



Por Marcelo Paiva 




Publicidade
Publicidade

Links patrocinados