Menu

Rede de sismógrafos é instalada em Sete Lagoas para averiguar tremores

Uma equipe de especialistas do Observatório Sismológico da Universidade de Brasília (UnB) instalou, na manhã desta sexta (5) a rede de sismógrafos que vão medir os tremores de terra de Sete Lagoas pelos próximos seis meses.

Foto: Prefeitura de Sete Lagoas / DivulgaçãoFoto: Prefeitura de Sete Lagoas / Divulgação

O professor e pesquisador da universidade, George Sand França, detalhou como funcionam os equipamentos, considerados de ponta e capazes de detectar a menor vibração a quilômetros de distância. "A gente sabe que os abalos ocorrem em Sete Lagoas, mas há uma margem de erro considerável. Precisamos saber se esses tremores têm causas naturais, que é o mais provável, ou há algum aspecto causado por atividade humana. Vamos tentar identificar isso, mas a característica natural está muito clara nesse caso", afirmou.

O secretário municipal de Meio Ambiente e coordenador da Força Tarefa que estuda o fenômeno na cidade, Edmundo Diniz, explicou os objetivos da parceria. "Os sismógrafos mais próximos daqui estão a 150km, então a precisão não é tão boa. Por isso essa parceria com a UnB, para identificarmos o epicentro dessa eventual falha geológica. A partir dessa identificação, tomaremos as providências mitigadoras para evitarmos maiores danos", esclareceu.

Foto: Prefeitura de Sete Lagoas / DivulgaçãoFoto: Prefeitura de Sete Lagoas / Divulgação

"Terremotos ou tremores não são previsíveis, mas podemos tomar providências para que não ocorram danos materiais e humanos. Essa é a nossa preocupação. Cientificamente essa quantidade de tremores seguidos é explicada porque, depois de uma primeira acomodação da placa, ocorrem efeitos reflexos, tecnicamente chamado de enxame de tremores. É algo previsto na literatura científica", lembrou o secretário.

Neste sábado (6) os pesquisadores da UnB seguem instalando os demais equipamentos em regiões distintas da cidade. A previsão é de que dentro de 15 dias a equipe volte a Sete Lagoas para uma primeira análise do material coletado.

Da redação com Prefeitura de Sete Lagoas



Publicidade

Links patrocinados MGID