Menu

Antiga gestão do Cruzeiro pode ter interferido em finais vencidas em cima do Atlético, segundo insinuação de Sette Câmara

Presidente do Atlético, Sérgio Sette Câmara insinuou que ex-dirigentes do Cruzeiro poderiam ter interferido de alguma forma no resultado das finais de 2018 e 2019 do Campeonato Mineiro. Segundo avaliação do mandatário alvinegro, as derrotas para o arquirrival nas decisões foram diretamente influenciadas pela arbitragem.

Sérgio Sette Câmara criticou arbitragens das finais do Mineiro de 2018 e 2019 (Foto: Pedro Souza/Atlético)Sérgio Sette Câmara criticou arbitragens das finais do Mineiro de 2018 e 2019 (Foto: Pedro Souza/Atlético)

Sette Câmara questiona a não expulsão do lateral-direito Edilson, em 2018, e a marcação do pênalti que resultou no gol de Fred, em 2019. Apesar disso, garante que não está ‘colocando em dúvida’ a arbitragem. Em seguida, o presidente atleticano critica, sem citar nomes, a antiga diretoria do Cruzeiro.

“Eu não estou aqui colocando em dúvida a arbitragem, mas se nós formos imaginar que aquelas pessoas que estavam à frente do Cruzeiro e hoje estão sendo acusadas aí de um monte de coisa, de formação de quadrilha e etcetera, etcetera, etcetera, que eu não sei, isso aí é só o que dizem, eles estão sendo acusados... Se eles foram capazes de fazer o que fizeram lá no próprio clube, o que essas pessoas não seriam capazes de fazer para poder, às vezes, ganhar um jogo, um campeonato ou coisa parecida?”, disse Sette Câmara, em transmissão ao vivo no perfil do Mineirão no Instagram, na tarde desta quinta-feira.

Relatório da Polícia Civil de Minas Gerais sobre o Cruzeiro indicia sete pessoas pelos crimes de apropriação indébita, falsidade ideológica, associação criminosa e lavagem de dinheiro. São três os antigos dirigentes alvos das investigações: o ex-presidente Wagner Pires de Sá, o ex-vice-presidente de futebol Itair Machado e o ex-diretor-geral Sérgio Nonato. Além deles, os empresários João Sérgio, Carlinhos Sabiá, Wagner Cruz e Cristiano Richard dos Santos Machado também estão envolvidos.

O Superesportes procurou os três ex-dirigentes do Cruzeiro para comentar a declaração de Sette Câmara. Por telefone, Wagner Pires de Sá negou qualquer tipo de interferência nos resultados das finais. “De forma nenhuma. Na minha parte, inclusive, eu sou muito ético. Se eles merecerem, eles ganham. Não faríamos isso”, disse.

Sérgio Nonato afirmou que não fazia diretamente parte da administração futebolística do clube. “Isso não me diz respeito, eu não mexia no futebol. Você tem que ligar para quem mexia no futebol. Eu não mexia no futebol”, afirmou, também por telefone. Itair Machado não atendeu a ligação e, até a última atualização desta reportagem, não havia respondido as mensagens.

Responsável por organizar o Estadual, a Federação Mineira de Futebol (FMF) preferiu não se pronunciar sobre as declarações de Sette Câmara.

Leia, na íntegra, a declaração do presidente do Atlético sobre o tema:

“Eu acredito que, dos títulos mineiros que nós disputamos, este (2020) nós ganhamos, mas acho que foi numa situação mais tranquila, eu diria assim. Nos outros dois que nós perdemos, nós perdemos, na minha opinião, com interferência da arbitragem. Naquele primeiro jogo, em 2018, entendi que o Otero foi expulso e deveriam ter expulsado também o lateral-direito do Cruzeiro (Edilson). Isso não aconteceu e nós acabamos perdendo um jogador ainda no primeiro tempo, o que complicou. O segundo ano foi o ano passado lá no Independência, com aquele pênalti sem cabimento que o juiz encontrou ali e nós acabamos perdendo também de 1 a 0 (1 a 1, na verdade). Uma coisa que eu nunca falei, Davi, e vou te falar aqui é o seguinte: eu não estou aqui colocando em dúvida a arbitragem, mas se nós formos imaginar que aquelas pessoas que estavam à frente do Cruzeiro e hoje estão sendo acusadas aí de um monte de coisa, de formação de quadrilha e etcetera, etcetera, etcetera, que eu não sei, isso aí é só o que dizem, eles estão sendo acusados. Se eles foram capazes de fazer o que fizeram lá no próprio clube, o que essas pessoas não seriam capazes de fazer para poder, às vezes, ganhar um jogo, um campeonato ou coisa parecida?”

Com Superesportes




Publicidade
Publicidade

Links patrocinados