Menu

Thiago Neves envia notificação ao Atlético-MG, faz cobrança de R$ 20 milhões e pede retratação pública

No início da semana, Thiago Neves esteve perto de ser anunciado como reforço do Atlético-MG. A negociação estava muito avançada, vazou, a torcida do Galo reagiu muito mal à possibilidade, e a diretoria voltou atrás, cancelando as tratativas. O ge apurou, com exclusividade, que o meia, em função da reviravolta nas conversas, enviou ao Galo uma notificação extrajudicial, cobrando R$ 20 milhões.

Atlético-MG rechaça validade contratual com Thiago Neves e envia contranotificação ao atleta.

Foto: ReproduçãoFoto: Reprodução

A reportagem teve acesso ao documento. Nele, o jogador de 35 anos alega que existe um termo, acordado com o clube, que, segundo o advogado, "fixou o dever das partes iniciarem, de imediato, vínculo empregatício desportivo".

Na notificação, o atleta alega que o valor da multa ficou definido entre as partes: o de R$ 20 milhões em caso de descumprimento do combinado, que foi o que aconteceu, de acordo com o meia.

Atlético tranquilo

A reportagem apurou com uma fonte ligada ao Atlético-MG que o clube já tem conhecimento da notificação extrajudicial, mas o departamento jurídico se posiciona de forma tranquila em relação aos pleitos do jogador. Primeiro, na visão do Galo, é que não houve a assinatura de contrato para a prestação de serviços de Thiago Neves e, portanto, não há solidez na notificação.

Segundo, caso a notificação vire processo judicial, o jogador não teria consistências (provas documentais) para cobrar a suposta multa de R$ 20 milhões, sob o risco de o próprio Thiago Neves ser condenado judicialmente e precisar ressarcir o clube mineiro.

O advogado do jogador, que assina o documento, cita que "há (...) inúmeros áudios, mensagens, documentos e demais elementos de prova que corroboram e comprovam toda a evolução da fase que antecedeu à elaboração do instrumento anteriormente mencionado, assim como de sua própria concretização entre as partes".

Interesse atleticano

Em contato com a reportagem do ge, o empresário Leandro Lima, que representa Thiago Neves, ressaltou que partiu do clube o interesse na negociação.

- O Alexandre Mattos e o Sampaoli entraram em contato com o Thiago para falar do interesse e do projeto no Galo. Logo depois, o presidente Sette Câmara fez o mesmo e abrimos negociações.

Na sequência, a notificação extrajudicial menciona que "foi ele surpreendido (...) com a notícia de que aludido contrato teria sido rescindido (...) ao argumento de que os torcedores da agremiação não haviam aprovado a contratação do atleta Thiago Neves".

Leandro Lima revela ainda Sérgio Sette Câmara, presidente do Atlético-MG, não se opôs em enfrentar a resistência do torcedor atleticano.

- Quando indagamos ao presidente Sette Câmara do tamanho do impacto que a contratação do Thiago poderia causar, o presidente foi categórico ao retrucar de imediato que tinha peito e mais de vinte processos contra torcida do Galo. E mais, que era homem suficiente para bancar a contratação. O que aconteceu é que faltou gestão e conhecimento de quem está dentro do clube, que, face a uma enorme pressão, não tiveram força para manter o compromisso assumido.

Sobre as falas do agente de Thiago Neves, principalmente no que se refere à atuação de Sette Câmara na negociação, a mesma fonte do Atlético-MG indica que há elementos para que o empresário seja alvo de notificação extrajudicial por parte do clube ou do próprio mandatário alvinegro.

Reparação pública

Não para por aí. O documento enviado ao clube ainda fala em "expressivo prejuízo de imagem" gerado ao jogador, que "possivelmente tenha, sem qualquer motivo aparente, sofrido a pior e maior pecha de sua longeva carreira: a de ter sido desligado antes mesmo de ter sido oficialmente apresentado à imprensa e à coletividade atleticana".

A notificação foi enviada no dia 15 (terça-feira) e cobra que o Atlético, em 24h a partir do recebimento do documento, pague os R$ 20 milhões e ainda "venha a público desagravar todo o abalo de ordem moral ao notificante (Thiago Neves)".

Os advogados do jogador citam que, caso a situação não seja resolvida extrajudicialmente, as medidas judiciais serão tomadas. O documento foi endereçado ao clube, aos cuidados do presidente Sérgio Sette Câmara e do diretor de futebol Alexandre Mattos.

- Juridicamente estamos confiantes porque sempre agimos dentro da lei. Todos os trâmites legais de um processo de contratação de um atleta foram feitos. Após insistência e pressa por parte do Atlético, o pré-contrato, depois de exaustivamente negociado, teve seus termos validados pelo Atlético, sendo assinado pelo Thiago. Inúmeras são as provas indicando a formalização do negócio e aceite da proposta. A partir dessa rescisão quem a propôs, e a ratificou, tem que assumir todo o ônus - destacou Leandro Lima.

Da Redação com GE




Publicidade
Publicidade

Links patrocinados