Menu

Voleibol feminino: Minas volta a bater o Praia Clube em final e conquista o Sul-Americano de Clubes

Em mais uma decisão emocionante, o Minas voltou a superar o Praia Clube e faturou pela sexta vez o título do Sul-Americano Feminino de Clubes. O time minas-tenista venceu o rival por 3 sets a 2, na noite desta terça-feira, na Arena Dentil, em Uberlândia, diante de grande público. As parciais foram de 25/22, 20/25, 16/25, 25/21 e 15 a 13.

Foto: Praia ClubeFoto: Praia Clube

Foi a quarta final seguida do Sul-Americano entre os rivais mineiros, e as minas-tenistas ampliaram a vantagem com três títulos e um vice. No ano passado, o Praia ganhou no tie-break, em Taguatinga (DF), e levantou a taça inédita. Em 2022, o Minas deu o troco na casa do time aurinegro e recuperou a hegemonia continental.

O Minas fechou a temporada com chave de ouro. Tricampeão seguido da Superliga Feminina - bateu o Praia em Brasília na terceira final consecutiva entre os dois -, o time minas-tenista faturou ainda o sexto título continental e garantiu o direito de disputar o Mundial de Clubes, em dezembro de 2022, ainda sem local definido.

O Praia, que buscava o bi continental, teve adiado o sonho da segunda conquista. Mas o clube de Uberlândia também teve uma temporada positiva, apesar de mais um vice na Superliga. O time aurinegro faturou o Mineiro e a Supercopa, ambos diante do Minas.

O JOGO

Com apoio da torcida, o Praia entrou com tudo para dar o troco, depois de amargar o vice mais uma vez da Superliga diante do Minas. Em mais uma decisão empolgante, com reviravoltas em todos os sets, os mineiros mostraram por que vêm dominando o cenário nacional nos últimos anos.

Os sets foram decididos nos detalhes, com erros de um lado e muita determinação do outro. O Minas saiu na frente já no fim da primeira parcial, com a central Thaisa fazendo diferença no saque: 25 a 21.

O Praia não desanimou, teve no grito da torcida um gás extra para buscar a reação. Em uma parcial equilibrada até a metade, o time de Uberlândia deslanchou e empatou com bola de meio de Jineiry: 25 a 20. A Arena Dentil explodiu de vez.

A virada do Praia veio no único set em que o placar foi dilatado. O Minas se perdeu nos erros de recepção e parou no bloqueio das anfitriãs, especialmente com a central Carol. Com a meio de rede no saque, o time do Triângulo fez 25 a 16 e passou à frente: 2 a 1.

O Minas não se entregou e se superou para reagir. Em um set dramático, em que o Praia buscou o empate no fim, o MTC teve forças para empatar e levar a definição para o tie-break. A holandesa Anne Buijs atacou para fora, e as minas-tenistas fecharam em 25 a 22: 2 a 2.

DEU MINAS!

O tie-break foi um resumo do jogo até então. O Minas começou na frente, o Praia buscou a virada. O jogo estava empatado em 12 pontos, mas prevaleceu o maior controle emocional das minas-tenistas. A ponteira Pri Daroit, que não estava em uma noite muito inspirada como em partidas anteriores, definiu a partida em um contragolpe certeiro no fundo de quadra:

15 a 13. Festa do MTC, frustração para as uberlandenses: 3 a 2.

Da Redação com Superesportes



Publicidade

Links patrocinados MGID