Menu

Estudante da UFMG é preso por estupro e divulgação de vídeos íntimos das ex

Um universitário de 30 anos foi preso em Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte, suspeito de estupro e divulgação de vídeos íntimos de ex-namoradas em sites pornográficos. Durante coletiva de imprensa, na manhã desta quarta-feira (04), a Polícia Civil informou que o criminoso, estudante do curso de Arquitetura da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), era engajado em causas feministas.

Materiais foram apreendidos./ Foto: Alex de Jesus/O TempoMateriais foram apreendidos./ Foto: Alex de Jesus/O Tempo

"A investigação começou há cerca de um mês, quando uma das vítimas nos procurou após tomar ciência que um vídeo dela foi postado em um site pornográfico. O investigado fez a divulgação de conteúdos de três ex-namoradas. Em algumas situações, elas permitiam a filmagem no momento íntimo do casal. Porém, elas não autorizavam a divulgação. Ocorreram casos que algumas vítimas nem sabiam que estavam sendo filmadas, ele posicionava o notebook de uma forma que as relações sexuais fossem gravadas", explicou a delegada Danielle Aguiar, da 1ª Delegacia Especializada em Investigação de Crimes Cibernéticos.

No site pornográfico, o homem criava contas com e-mails falsos e divulgava, além das imagens, nomes e redes sociais das ex-namoradas. Uma delas foi estuprada e só tomou conhecimento do fato ao assistir o vídeo. Na legenda das imagens, no site pornográfico, o homem fez questão de escrever que se tratava de um abuso sexual.

"A ex-namorada que foi estuprada disse que estava um mesmo ambiente que ele, bebeu e 'apagou'. Também conseguimos localizar outra jovem que chegou a trocar fotos íntimas com ele pela internet. Na época, ela disse que tinha 15 anos", detalhou a policial.

Prisão

O estudante foi preso temporariamente no momento em que estava em casa, nessa terça-feira (03). Nesta quarta estava prevista a apresentação do Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) do universitário.

"Em depoimento, ele disse que tem compulsão sexual e faz tratamento, mas a gente ainda não averiguou essa informação", contou a delegada.

Alerta na UFMG

Durante as investigações, a polícia descobriu uma mensagem que foi deixada em um dos banheiros da UFMG alertando em relação ao comportamento do suspeito. No texto, a pessoa que escreveu pedia para que as alunas tomassem cuidado com o "@passante", que era a conta usada pelo homem no Instagram.

"Calouras e todas as minas, cuidado com o @opassante do Insta! É um estrupador do EAD com diversas denúncias (SIC)".

Veja foto:

A reportagem aguarda um posicionamento da UFMG em relação à mensagem deixada nas dependências da instituição.

Nervosinho

Na casa do homem, policiais encontraram materiais que poderiam ser usados em pichações. Ao ser questionado, o estudante ficou nervoso. "Na cabeça dele, a pichação não deveria ser crime e, sim, uma forma de se expressar", destacou a delegada Danielle.

A Polícia Civil acredita que outras vítimas possam aparecer com a divulgação do caso, além das quatro vítimas que já apareceram.

"O ideal é não se deixar filmar em situação íntima. Eu diria para não confiar 100% no parceiro. É melhor a gente sempre ser precavido. E outra coisa também é não ficar trocando fotos íntimas com quem você conheceu na internet. Tem que ter esse cuidado", finalizou a delegada.

O homem vai responder por estupro de vulnerável e pela divulgação de conteúdo íntimo sem o consentimento das vítimas.

Com O Tempo




Publicidade
Publicidade

Links patrocinados