Menu

Sobe para 19 número de casos suspeitos de intoxicação por dietilenoglicol

O número de casos suspeitos de intoxicação por dietilenoglicol passou de 18 para 19, conforme boletim divulgado nesta sexta-feira (17) pela Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais. Ao todo, há suspeita de intoxicação em 17 homens e duas mulheres.

Polícia faz perícias na fábrica da backer — Foto: Joao Leus/O TempoPolícia faz perícias na fábrica da backer — Foto: Joao Leus/O Tempo

Do 19 casos suspeitos apresentados até agora, quatro pessoas morreram - três homens e uma mulher. Desses, apenas um houve confirmação de morte por intoxicação por dietilenoglicol, trata-se de Paschoal Dermatini Filho, de 55 anos, que morreu em Juiz de Fora no dia 7 deste mês. Os outros três ainda estão sendo investigados.

Ainda dentro do universo dos 19 pacientes, em quatro casos, houve confirmação de intoxicação pela substância, dentre eles, está Paschoal. Os outros 15 restantes continuam sob investigação.

Até agora, foram confirmadas suspeitas de intoxicação em Belo Horizonte - doze, no total, em Capelinha, Nova Lima, Pompéu, São João Del Rei, São Lourenço, Ubá e Viçosa.

Contaminação associada a cerveja

Uma força-tarefa, envolvendo Polícia Civil, Vigilância Sanitária e Ministério da Agricultura e Pecuária, foi montada para investigar a relação entre a intoxicação e um possível consumo de cervejas da marca Backer.

Até agora, foram encontradas subtâncias tóxicas nas cervejas Belorizontina, Capixaba, Capitão Senra, Pilsen, D2, Brown, Pele Vermelha e Fargo 46.

De acordo com a SES-MG, a presença de dietilenoglicol foi confirmada em amostras da bebida que foram coletadas nas casas de pacientes e encaminhadas pela vigilância sanitária da capital para a perícia da Polícia Civil.

Mortes

Além de Paschoal, outras três pessoas morreram devido a complicações renais associadas a problemas neurológicos. Um homem morreu no último dia 15 e outro no dia 16, ambos em Belo Horizonte.

Uma mulher morreu em 28 de dezembro, em Pompéu. As causas das mortes deles ainda estão sendo investigadas.

Com O Tempo




Publicidade
Publicidade

Links patrocinados