Menu

Coronavírus: família de 1ª vítima em MG pede que governo respeite doentes

Familiares da idosa que morreu nesse domingo (29), no hospital Biocor, em Nova Lima, na região metropolitana de Belo Horizonte, e que testou positivo para o coronavírus, de acordo com o médico infectologista da unidade hospitalar, utilizaram as redes sociais para lamentar a perda.

Em uma postagem no Facebook, uma nora da vítima desabafou e desejou que ninguém tenha que passar o que a família dela passou nos últimos dias. Foto: Reprodução/FacebookEm uma postagem no Facebook, uma nora da vítima desabafou e desejou que ninguém tenha que passar o que a família dela passou nos últimos dias. Foto: Reprodução/Facebook

Em uma postagem no Facebook, uma nora da vítima desabafou e desejou que ninguém tenha que passar o que a família dela passou nos últimos dias. “Espero que não tenham nunca que ficar em casa inerte, enquanto o corpo do seu familiar está sendo cremado sem que nenhum parente possa se despedir ou homenagear. Quanta tristeza, meus Deus!!!”, diz na publicação. 

A vítima estava internada em isolamento e intubada na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) do hospital. Ainda na publicação, a nora da vítima pede que as pessoas que defendem o fim do isolamento social, com a justificativa de salvar a economia, repensem a posição. “Reflitam, repensem, se coloquem no lugar de tantas famílias que estão passando o que a nossa família está passando. Respeitem a dor de tantas pessoas”, pede.

Ao final, pede respeito dos governantes às famílias de vítimas e envia uma mensagem de apoio ao ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta. “Gostaria imensamente que os governantes fossem mais respeitosos com cada vida ceifada e sufocada pelo coronavírus. Sr. Ministro Mandetta, se mantenha técnico e firme, não se deixa abater pela ignorância. Mais amor e empatia”, finalizou.

O caso

A primeira morte por coronavírus em Minas Gerais foi confirmada na noite desse domingo (29), pela médico infectologista do hospital Biocor, Estevão Urbano. 

Procurada pela reportagem, a direção da instituição respondeu, por meio de nota, que, “por uma questão ética de sigilo e confidencialidade", não tem "autorização para dar nenhuma informação ou apresentar qualquer dado referente à paciente”.

Por meio de nota, a Prefeitura de Nova Lima informou que até o momento não foi notificada sobre o caso. A reportagem também entrou em contato com a Secretaria de Estado da Saúde (SES), mas não obteve resposta.

Com O Tempo




Publicidade
Publicidade

Links patrocinados