Menu

Covid-19: Minas Gerais teve uma morte por hora confirmada nas últimas 24h

A cada hora entre a manhã de sexta-feira (5) e este sábado (6), um mineiro morto pelo coronavírus entrou para as estatísticas da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG), que até esta manhã declarou ter confirmado a existência de 328 óbitos causados pela infecção em Minas Gerais – 24 apenas nas últimas 24 horas, 48 de quinta-feira (4) para cá e 82 desde o balanço de terça-feira (2).

Número de óbitos chegou a 368 — Foto: Mauro Pimentel/AFPNúmero de óbitos chegou a 368 — Foto: Mauro Pimentel/AFP

O número de infectados que receberam diagnóstico pelo Estado também continua a crescer, e desde de quarta-feira (3) o número de novos casos por dia permanece próximo de 1.000 – sendo 1.071 na quarta, 1.021 na quinta, 961 na sexta-feira e 944 neste sábado (6). Somados os novos diagnósticos confirmados nas últimas horas, o total de infectados em Minas Gerais praticamente beira 15 mil – são 14.939 nesta manhã.

A capital Belo Horizonte responde por cerca de cem dos casos notificados pela Saúde entre sexta e sábado, como também é responsável por dois dos óbitos que constam nas estatísticas desta manhã. Outros quatro dos 24 óbitos aconteceram metade em Contagem e a outra metade em Caratinga.

O município de Juiz de Fora, na Zona da Mata, é o terceiro com maior quantidade de infectados em Minas Gerais e responde por 40 dos novos 944 diagnósticos do Estado. Seis das 24 mortes confirmadas desde a manhã de sexta-feira aconteceram na cidade. Segunda cidade no ranking das que concentram o maior número de casos, Uberlândia é responsável por 59 dos casos mais recentes e na cidade são cerca de 1.200 infectados pelo coronavírus.

Vinte e quatro óbitos

As mortes causadas pela Covid-19 e que constam pela primeira vez na lista da SES-MG aconteceram em 16 cidades, são elas: Belo Horizonte, Bom Jesus do Galho, Caratinga, Contagem, Divinópolis, Ipatinga, Itajubá, Janaúba, Juiz de Fora, Lagoa da Prata, Lima Duarte, Nova Lima, Pintópolis, Santana do Paraíso e Teófilo Otoni. Há ainda uma morte cuja origem não está identificada. O paciente mais jovem que faleceu após contrair a doença tinha apenas 26 anos e não possuía quaisquer comorbidades anteriores, segundo a própria Secretaria de Saúde. As mortes que aparecem no relatório aconteceram entre 21 de maio 4 de junho.

Esta matéria está em atualização.

Com O Tempo




Publicidade
Publicidade

Links patrocinados