Menu

Cachorro que teve as patas cortadas recebe doação de cadeira de rodas

Depois de ter as duas patas traseiras arrancadas com golpes de foice em Confins, região metropolitana de BH, na última segunda-feira (7), o pitibull de dois anos Sansão recebeu, na tarde desta quinta-feira (9), a doação de uma cadeira de rodas que o permitirá se locomover. Além da cadeira, os tutores do animal afirmam que muitas pessoas de todo o país já os procuraram oferecendo doações.

Foto: arquivo pessoalFoto: arquivo pessoal

Segundo a veterinária que atende o cachorro, Ticiana Lima Dornas, o equipamento foi doado por uma empresa que fabrica cadeiras de rodas para animais e pode ser utilizado como definitivo. No entanto, a equipe trabalha na possibilidade de que Sansão utilize um prótese fixa em uma das patas amputadas.

“Acreditamos que uma prótese traria mais qualidade de vida para ele. Embora só seja possível a colocação em uma das patas (pois a outra perdeu um osso necessário) mesmo que ele ande com três patas apenas, seria mais confortável para o Sansão essa possibilidade do que a cadeira de rodas que precisa ser colocada e retirada todo dia”, explicou.

Ticiana contou que ficou muito feliz com a chegada da cadeira e que Sansão, embora esteja muito assustado com toda a situação, se adaptou bem ao equipamento.

“Ele ainda está um pouco desconfiado e precisa do nosso auxílio para se locomover, mas consegue utilizar as patas dianteiras para isso e com o tempo já vai está andando para todo os lados”, contou.

“Antes da cadeira ele já estava conseguindo andar usando as patas dianteiras, com a gente apoiando as pata traseiras em panos", explicou.

Recuperação

O cão segue internado na clínica onde Tissiana atende e, segundo a médica veterinária, ele deve permanecer lá por ainda sete dias.

“Ele está respondendo muito bem ao tratamento, mas como perdeu muito sangue e os ferimentos foram bastante grave ele precisa ainda ficar em observação e fazer um tratamento intenso com antibióticos”, explica. “Uma das patas ainda está muita inchada, mas responde bem à medicação e o inchaço vem diminuindo”, completa.

Além do uso de medicamentos, Sansão ainda irá passar por sessões de fisioterapia para se adaptar melhor à cadeira de rodas.

A veterinária ainda afirma que se surpreendeu com a recuperação do cachorro devido à gravidade dos ferimentos.

“Ele é muito forte! Não é qualquer cachorro que sofre o que ele sofreu e sobrevive. Ele perdeu bastante sangue, tivemos que fazer transfusão, voltou a comer apenas hoje, fora o risco infecção”, ressalta Ticiana.

Recuperação esta que deixa os tutores do animal bastante confiantes e emocionados. Na manhã desta quinta-feira, Gleidson foi à clínica e pela primeira vez depois do ocorrido viu seu cachorro se locomover.

"Eu ainda não o vi com a cadeira, mas hoje de manhã fui à clínica visita-lo e quando cheguei ela ele veio andando até mim com as duas patas da frente e fazendo a maior festa. Fiquei muito emocionado. Hoje ele estava muito mais forte, disposto. Ele vai se recuperar bem, tenho fé nisso!", exclamou.

Solidariedade

Um dos tutores de Sansão, Gleidson Justino da Silva, contou que recebem uma média de três ofertas de doação por dia depois do ocorrido e se diz bastante grato pela solidariedade que Sansão tem recebido.

“Esse gesto nos dar força demais. Porque o baque para todos nós foi muito grande. Mas as pessoas têm nos procurado, gente de todo o país para nos ajudar com o que for preciso na recuperação do Sansão”, conta Silva.

Uma conta no Istagram, ‘Todospor.Sansão’, foi criada para o cachorro e já conta com mais 62 mil seguidores. Quem quiser ajudar, basta entrar em contato por meio do perfil.

Relembre

Sansão tomava conta de uma fábrica de ensacados, e o agressor mora ao lado da empresa. Na última segunda-feira (6), foi encontrado ensanguentado e sem as duas patas no terreno do agressor.

Em conversa com a reportagem, na terça-feira (7), o empresário Joaquim Dias de Souza, de 49 anos, contou que estava saindo da fábrica, às margens da MG-424, quando ouviu um barulho.

"Eu estava preparando para ir embora e escutei o cara falando 'pega o facão'. Não tinha visto que o Sansão tinha saído. Fui até o lote dele, que não tem muro, e ouvi o grito do cachorro, provavelmente na hora que as patas foram cortadas. Caminhei mais um pouco e vi ele e o irmão segurando o cachorro", explicou o dono do animal.

Segundo Joaquim, ao entregar o cão, o homem teria dito: "Eu te avisei que ia fazer isso com o cachorro e você não tomou suas providências". O empresário afirma que o pitbull é dócil e nunca atacou outras pessoas, mas tinha atrito com o cachorro do vizinho, que atende pelo nome de Zé Defunto.

"Falei com ele que era briga de cachorro, que o Sansão foi atrás do cachorro dele. Foi uma situação triste ao encontrar o meu cachorro, estava saindo muito sangue. A boca dele foi amarrada com arame farpado e também estava machucada. Ele me reconheceu e ficamos juntos até a chegada da veterinária. A gente não sabe por onde ele saiu para ir ao lote vizinho. Eu espero que tenha justiça, isso é uma covardia e ele tem que pagar pelo que fez", afirmou.

Na ocasião, o homem que agrediu o animal, Júlio Cesar Santos Souza, de 44 anos, contou que, constantemente, o cão pula o muro e avança nos animais dele.

"Eu já venho sendo incomodado há bastante tempo, já pedi, já avisei aos donos, fiz boletim de ocorrência e os donos não resolveram. Ontem, ele pulou o muro, invadiu meu terreno e agrediu meu cachorro. Eu não vou encarar um pitbull de mãos vazias. Ele pode ser dócil com os donos dele, mas eu não sou dono dele. Peguei alguma coisa para me defender caso ele avançasse", explicou o homem.

Os donos de Sansão e Júlio César chegaram a ser levados para o quartel da Polícia Militar, onde assinaram um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) e foram liberados. (Com Carolina Caetano)

Da Redação com OT




Publicidade
Publicidade

Links patrocinados