Menu

Zema pedirá prioridade a Minas quando vacina contra o coronavírus for aprovada

O governador Romeu Zema (Novo) disse nesta segunda-feira (3) que vai solicitar prioridade ao Estado quando vacina contra o coronavírus, que está passando por fase de testes em Minas, for aprovada pelos órgãos sanitários. A CoronaVac, estudada pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), começou a ser aplicada em voluntários na última sexta-feira (31).

Governador concedeu entrevista à CNN Brasil — Foto: Pedro Gontijo / Imprensa MGGovernador concedeu entrevista à CNN Brasil — Foto: Pedro Gontijo / Imprensa MG

"Nós temos aqui a participação de unidades hospitalares de universidades federais que estão participando dessas pesquisas. Nós já deixamos bastante claro que, tão logo tenhamos uma inclusão positiva a respeito desses testes, nós queremos ter uma prioridade no recebimento, principalmente para os idosos e a população de risco", afirmou Zema em entrevista à CNN Brasil nesta tarde.

Ainda de acordo com o governador, ele já teria feito essa solicitação ao governo federal. "Inclusive, nós tivemos diversas reuniões com o ministro astronauta (Marcos Pontes, da Ciência, Tecnologia e Inovações), que está acompanhando essas pesquisas", completa.

Vacina

Os primeiros voluntários em Minas Gerais começaram a receber, na última sexta-feira (31), doses da CoronaVac, uma das candidatas à vacina contra o novo coronavírus e que é desenvolvida pela biofarmacêutica chinesa Sinovac Biotech.

Esta é a terceira e última fase de testes da vacina, e as aplicações das doses serão feitas em um posto de saúde na região Noroeste de Belo Horizonte. Ao todo, 852 voluntários da área de saúde participarão do estudo em Minas Gerais.

Segundo a UFMG, os participantes serão monitorados de perto ao longo dos próximos 12 meses, e a meta é vacinar 10 voluntários por dia.

O Instituto Butantan, de São Paulo, está adaptando uma fábrica para a produção da vacina com capacidade de produção de até 100 milhões de doses. Se a vacina for efetiva, o centro vai receber da Sinovac, até o fim do ano, 60 milhões de doses para distribuição. Se tudo der certo, a expectativa é que a vacina seja de fato aplicada na população em 2021.

Com O Tempo




Publicidade
Publicidade

Links patrocinados