Menu

Minas Consciente inicia nova fase com 48% de adesão dos municípios mineiros

Em nova fase com início nesta quinta-feira (6), o Minas Consciente alcançou a adesão de 48% dos municípios do Estado. São cerca de 10,2 milhões de pessoas em 412 cidades que seguem as medidas do programa de retomada segura das atividades econômicas.

Entre as novidades que passam a valer, está a liberação para que mais de 360 pequenas cidades mineiras reabram comércio não essencial a partir deste sábado (8) e a entrada em vigor da análise microrregional - que permitirá que cidades com índices melhores possam avançar ondas mesmo que a macrorregião aponte para mais restrição.

"É quase metade do Estado aderido. A importância deste novo Minas Consciente, com este novo protocolo, único e amplo, que traz as informações para todas as situações em que ocorre risco [de contágio]", afirmou o secretário-adjunto de Desenvolvimento Econômico, Fernando Passalio.

Segundo o gestor, o protocolo do programa servirá de guia para empresários e cidadãos na busca de uma "forma segura de lidar com a pandemia". O documento está disponível neste site. Conforme Passalio, as regiões com maior número de municípios em adesão ao projeto são:

- Centro-Sul (onda amarela): com cidades como São João del Rei, Barbacena, Carandaí, Conselheiro Lafaiete e Senhora dos Remédios. O gestor não informou a quantidade de municípios;
- Sudeste (amarela): 63 municípios, como Juiz de Fora, Cataguases, Muriaé e Além Paraíba;
- Leste (onda vermelha): 32 municípios, como Governador Valadares, Resplendor e Aimorés;
- Noroeste (onda vermelha): 17 municípios, como Patos de Minas, Presidente Olegário e Serra do Salitre.

Nenhuma cidade inicia a nova fase do Minas Consciente na onda verde, onde é permitido o funcionamento de mais estabelecimentos. O balanço de ondas atual do programa pode ser visto aqui.

Protocolo único

O secretário-adjunto de Desenvolvimento Econômico ainda trouxe esclarecimentos sobre o protocolo único para restaurantes no que se refere ao consumo de alimentos no interior dos estabelecimentos.

Segundo Passalio, essa foi uma das dúvidas apresentadas em reunião realizada pela Sede com a Associação dos Municípios da Região Metropolitana de BH (Granbel), nesta semana. Conforme o gestor, a definição dependerá da situação do município diante das ondas do Minas Consciente.

"Se a macrorregião estiver na onda vermelha [mais restritiva], o consumo é só por delivery ou retirada no balcão. Caso a macrorregião ou micro esteja na onda amarela [intermediária] ou verde [mais ampla], poderá haver consumo no interior do restaurante", afirmou. Conheça as ondas do programa aqui.

Passalio relembrou que a permanência de pessoas dentro dos estabelecimentos para consumo deve seguir os protocolos sanitários para a manutenção da segurança e da preservação de vidas.

Com Hoje em Dia




Publicidade
Publicidade

Links patrocinados