Menu

'Jackie Chan' mineiro que apanhou de motoboy em vídeo viral é indiciado por três crimes

O suspeito conhecido como Jackie Chan, que apanhou no vídeo que viralizou nas redes sociais na última semana, foi indiciado por três crimes após a confusão em Ouro Branco, na Região Central de Minas Gerais. Nesta terça-feira (27), o delegado Marcelo Fonseca Prado disse ao G1 que o homem é investigado por embriaguez ao volante, disparo de arma de fogo e dano ao patrimônio público.

Briga em lanchonete, em Ouro Branco, viralizou nas redes sociais — Foto: Reprodução/Redes sociaisBriga em lanchonete, em Ouro Branco, viralizou nas redes sociais — Foto: Reprodução/Redes sociais

O caso é de 12 de outubro e começou em uma lanchonete, onde a vítima foi ameaçada e reagiu. Naquele dia, Jackie Chan foi detido por suspeita de tentativa de homicídio, mas, segundo o delegado, ele só pegou o revólver depois da briga com o motoboy. Por isso, esse delito foi descartado.

"Foi ciúme de uma namorada, porém ele estava embriagado e enganou de pessoa. Esse motoboy não era o cara supostamente envolvido com a amásia do Jackie Chan e ele nada sabia do caso. O homem chegou na lanchonete com o comparsa, também embriagado. Eles discutiram e entraram em vias de fato. O motoboy bateu nos dois e, em seguida, pegou a motocicleta e saiu. Inconformado, Jackie pegou a arma de fogo em casa e voltou à lanchonete. Ele deu um tiro para o alto", afirmou Marcelo.

Jackie Chan é Rafael Junior da Costa Vieira. Nas imagens registradas por câmeras de segurança, o suspeito chega ao estabelecimento vestindo uma regata preta com detalhe vermelho. Ele tira satisfação com o motoboy e, depois, parte para cima do trabalhador, de moletom, que revida as agressões e derruba o homem no chão (veja no vídeo acima).

A saga por Ouro Branco

Após a briga, de acordo com o boletim de ocorrência da Polícia Militar (PM), o homem saiu pela cidade em um Volkswagen Gol, armado. No Centro, Jackie Chan atirou em um carro vazio que estava parado na rua. Depois disso, teve início uma perseguição e os militares conseguiram parar o veículo no bairro Jardim Pindorama.

Ele desceu do carro, com sintomas de embriaguez, com os punhos cerrados, e ameaçou agredir os militares. Jackie Chan foi levado de viatura para a 65ª Companhia de Polícia Militar, onde chutou e quebrou uma parede de madeira. Ele se recusou a fazer o teste do bafômetro.

"Estava totalmente transtornado. Os policiais perseguiram ele, localizaram, prenderam e levaram para o quartel. Algemado e embriagado, ele começou a chutar a parede de compensado e fez um buraco nela, quebrou o compensado. Xingou Deus e o mundo e foi encaminhado para a delegacia de Conselheiro Lafaiete, onde eu estava de plantão. Não foi impetrada fiança", relatou Marcelo.
'Temido na cidade'

O delegado de Polícia Civil de Ouro Branco informou ainda que o suspeito já havia sido preso por homicídio.

"É um cara bastante temido na cidade", disse.

De acordo com a Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp), Rafael está detido no Presídio de Conselheiro Lafaiete I desde a última sexta-feira (23). Ainda segundo a pasta, essa é a sétima passagem dele por cadeias e presídios da região de Conselheiro Lafaiete, Ouro Branco e Ouro Preto.

O Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) não havia informado, até a última atualização desta reportagem, se a promotoria ofereceu denúncia contra Rafael após o indiciamento.

O G1 não conseguiu contato com a defesa de Jackie Chan. A dona da lanchonete preferiu não comentar o caso. O motoboy não trabalha mais lá.




Publicidade

Links patrocinados