Menu

Garota do interior de Minas escreve carta para a PM e realiza sonho de ter cama

Todos os dias antes de dormir, Micaely, de 9 anos, rezava e pedia a Deus que o seu sonho se realizasse: Ela queria muito uma ‘caminha’ confortável para dormir. A menina, que mora na zona rural de São João do Pacuí (MG), teve seu desejo atendido após escrever uma cartinha para a Polícia Militar.

Menina escreveu uma carta para a Polícia Militar pedindo uma 'caminha' — Foto: DivulgaçãoMenina escreveu uma carta para a Polícia Militar pedindo uma 'caminha' — Foto: Divulgação

A comunidade onde Micaely mora fica a cerca de 12 km da área urbana e ela foi pessoalmente com a mãe no quartel da PM para entregar a carta, mas a mãe não sabia o que a filha havia pedido.

“Ela me falou que ia escrever uma carta e fez sozinha. Toda vida ela rezava muito para ter uma cama, mas pensei que tivesse pedido uma bicicleta”, conta Solange Dias Santos.

Quem recebeu as duas no quartel foi o sargento e comandante da Unidade, Guilherme Alves Malveira. Elas chegaram no início do turno de serviço e ele ainda não havia atendido nenhuma ocorrência.

“A mãe falou que queria falar comigo, as duas entraram na sala e a menina entregou a cartinha. Não imaginei que seria alguma denúncia de crime, porque tinha uns coraçãozinhos e pensei que era algum pedido de ajuda”.

“Ela olhava pra mim com olhar de esperança de que eu poderia ajudar com a caminha. Fiquei muito mexido e falei que iria me esforçar para atender o sonho dela”.

O policial tirou foto da cartinha, postou nas redes sociais e em menos de uma semana, conseguiu uma cama e um colchão doados pela comerciante Fernanda Araújo Ribeiro. Ela tem um filho da mesma idade da Micaely e se comoveu com o pedido.

“Meu filho é uma criança que tem tudo dentro das nossas possibilidades e ela estava faltando o básico. Poderia ter pedido brinquedos, roupas, mas só pediu uma cama. Às vezes não temos percepção de como algo simples pode ajudar o próximo. Fiquei comovida pela situação e pela postura do militar de se preocupar com o bem estar do próximo. O mérito é do militar, o bem contagia e ele é instrumento de Deus aqui na cidade”, disse a comerciante.

Sonho realizado

O policial quis responder ao pedido da menina escrevendo uma carta que foi entregue na casa da família três dias antes da chegada da cama. A leitura foi feita pela mãe e todos se emocionaram. Na carta, ele dizia que estava se esforçando para conseguir a cama e marcou a data que o presente chegaria.

“Saiba que Jesus Cristo não desampara aqueles que têm fé, você acreditou na Polícia Militar e Jesus usou os militares como instrumento para alcançar o seu pedido”, diz o texto da carta.

Policiais entregaram a cama para Micaely nesta semana — Foto: Polícia Militar/ DivulgaçãoPoliciais entregaram a cama para Micaely nesta semana — Foto: Polícia Militar/ Divulgação

“Fui pessoalmente levar a cartinha, ela agradeceu, chorou muito e eu também. Fiquei muito emocionado, muitas pessoas têm tudo e não dão valor e ela só queria uma cama porque estava sentido dor no braço”.

No fim da tarde da última segunda-feira (14), o sonho da pequena Micaely se tornou realidade. Além da cama, ela ganhou um lençol com estampa de princesa e uma cesta básica para a família.

Ao conversar com o G1, a menina descreveu em poucas como foi a sensação de dormir na cama nova:

“ Foi muito bom, fiquei feliz com a caminha. Eu rezava toda noite e falava que Deus ia me ajudar”.
Antes, ela dormia em uma cama improvisada com um colchão em péssimas condições e, por isso, sentia dor no braço e nas costas.

“O colchão tinha um buraco e afundava. A cama era improvisada e de vez em quando, ela caía e eu arrumava. Às vezes ela tinha que dormir no sofá ou no chão. Ela sempre me falava que queria uma cama, mas estou desempregada e não tinha condições de comprar”, descreveu a mãe Solange Dias Santos.

Em maio deste ano, o mesmo policial que recebeu a cartinha fez uma ação para arrecadar cestas básicas e atendeu 28 famílias carentes do município, entre elas a da Micaely. Foi a partir de uma frase dita nesta ação que motivou a menina a escrever a carta.

“Falou que eu poderia contar com eles [Polícia Militar], aí eu imaginei: Vou fazer uma cartinha e pedir uma caminha. Era meu sonho, estou muito feliz. Agradeço a Deus e a Polícia Militar por ter ajudado a realizar meu sonho”.

“Poder ajudar uma criança é gratificante, me senti realizado. Acho que temos que mudar pelo menos um pouco a vida das pessoas que estão ao nosso redor e ser esperança e luz na vida de alguém. Minha missão é ajudar as pessoas”, disse o sargento.

Com G1





Publicidade

Links patrocinados