Menu

Covid-19: UFMG se prepara para iniciar testes da vacina contra a doença em humanos

Pesquisadores da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) vão entregar, até a próxima sexta-feira (30), dossiê para iniciar testes em humanos da vacina desenvolvida contra a Covid-19 à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). É o órgão que vai dar o aval para esta etapa de produção do imunizante.

Pesquisadores trabalham para iniciar testes da Spintec em humanos — Foto: Arquivo pessoal/UFMG/DivulgaçãoPesquisadores trabalham para iniciar testes da Spintec em humanos — Foto: Arquivo pessoal/UFMG/Divulgação

Desenvolvida pelo CT Vacinas, a Spintec já passou por todo o desenvolvimento chamado pré-clínico, que vai desde o desenho técnico até os testes em animais. Segundo o pesquisador Flávio Fonseca, foram realizados testes em camundongos, hamsters e micos, com resultados promissores.

O primeiro grupo a passar pela experiência foi o de camundongos “humanizados”, que apresentam os receptores que o vírus Sars-Cov-2 usa para entrar nas células humanas. Estes camundongos se infectam quando são inoculados com Sars-cov2 e morrem.

“No grupo de camundongos, por exemplo, todos os animais vacinados, sobreviveram, não apresentaram doença clínica imensurável, enquanto os animais não imunizados, todos morreram até o oitavo dia de doença”, contou.

O segundo grupo a ser testado foi o de hamsters que, quando são inoculados com o vírus, apresentam forma branda da doença.

“No caso dos hamsters, que têm doença branda, todos os animais vacinados não perderam peso, não apresentaram sinais clínicos. Enquanto os animais não vacinados apresentaram perda de peso, outros sinais clínicos típicos de quando o animal fica doente”, falou.

Já os micos, só receberam a vacina, sem serem inoculados com o vírus. O objetivo era avaliar se os animais apresentaram algum efeito adverso, o que não ocorreu. Também tinha intenção de verificar a produção de resposta imunológica e produção de anticorpos. Os resultados, também neste caso, foram positivos, segundo o pesquisador.

São estas experiências que vão compor o dossiê entregue à Anvisa. Assim que a documentação for analisada e aprovada pela agência, a Spintec passa pelas fases 1 e 2 em humanos, que devem ter de 30 a 40 voluntários e de 150 a 300 voluntários, respectivamente. Todos devem ter sido vacinados com a Coronavac.

A expectativa é que a vacina esteja disponível no início de 2022.

Com G1





Publicidade

Links patrocinados