Menu

Homem que matou ex-namorada e que tentou atirar na sogra é condenado a 26 anos de prisão

Talisson Alves Martins da Silva foi condenado a 26 anos e três meses de prisão por matar a ex-namorada e tentar atirar na sogra, que sobreviveu.

Talisson Alves Martins da Silva é interrogado no júri. — Foto: TJMG / DivulgaçãoTalisson Alves Martins da Silva é interrogado no júri. — Foto: TJMG / Divulgação

Ester Ferreira Gomes foi assassinada a tiros quando saía de casa para ir ao trabalho, no bairro Vera Cruz, na Região Leste de Belo Horizonte. O crime aconteceu por volta das 7h do dia 17 de março de 2020 e foi presenciado pela mãe da vítima, Fernanda Fernandes Gomes.

"Estou ferida de morte. Estou fazendo tratamento psicológico, tomando vários medicamentos", disse a copeira, de 42 anos.

Aos 20 anos, Ester foi mais uma vítima do feminicídio na capital. De acordo com a denúncia, ela e Talisson namoraram por cinco anos e tinham terminado dois meses antes do assassinato.

Segundo o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), Talisson não aceitava o fim do namoro e esse foi o motivo do crime. Testemunhas contaram que tanto o relacionamento quanto o período após o término foram marcados por agressões.

Fernanda conta que nunca aprovou o namoro e que, dias antes do crime, a filha, que trabalhava como atendente de telemarketing, vinha sofrendo ameaças por parte do ex.

O julgamento

Antes do julgamento, que começou às 9h25 com o sorteio dos jurados, parentes e amigas de Ester fizeram protesto do lado de fora do fórum.

Com blusas estampadas com o rosto da jovem, elas oraram e pediram justiça pela morte de Ester e de outras vítimas de feminicídio.

Durante toda manhã e no começo da tarde, testemunhas foram ouvidas no III Tribunal do Júri.

Por volta das 12h40, foi iniciado o interrogatório de Talisson.

Durante o interrogatório, o réu admitiu o assassinato, mas afirmou que não premeditou o crime. Ele disse que andava armado porque estava sendo ameaçado e que atirou após uma discussão entre ele e Ester. Talisson pediu desculpas à família, afirmando que nada justifica o que ele fez.

A sentença foi proferida por volta das 19h.

O crime

A denúncia narra que, no dia do crime, Ester saiu de casa acompanhada da mãe e que, a cerca de 60 metros do imóvel, foi surpreendida e baleada na cabeça pelo ex-companheiro, que estava em um beco.

Fernanda tentou salvar a filha e deter o Talisson, puxando o braço dele. Mas, segundo depoimento dela durante o processo, o ex-genro também tentou atirar contra ela. Segundo Fernanda, como revólver falhou, o rapaz a agrediu com chutes na cabeça e em outras partes do corpo.

Depois disso, de acordo com testemunhas, Ester chegou a tentar fugir e correu em direção à casa de um vizinho. Quando a jovem já estava caída no chão, o ex-namorado atirou outras vezes contra ela. Ao todo, a vítima foi ferida por três disparos nas regiões da cabeça, do ouvido e das costas.

Após o crime, Talisson foi preso e, segundo a defesa, o rapaz segue detido em Ribeirão das Neves, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Ele responde pelo feminicídio de Ester e também pela tentativa de homicídio de Fernanda.

Durante interrogatório na Justiça, ele disse que só se manifestaria sobre o assassinato de Ester em plenário. Já em relação à ex-sogra, ele negou ter tentado atirar contra ela.

Procurada pelo G1, a defesa de Talisson disse que considera ter havido um "excesso acusatório" tanto em relação às qualificadoras do homicídio quanto em relação ao crime de tentativa de homicídio.

Com G1





Publicidade

Links patrocinados